Zapping Crítico #4 – Aventuras musicais

Excepcionalmente ao Sábado, este quarto segmento do “Zapping Crítico” propõe-se a comentar, não só o último episódio exibido de “Glee”, como o episódio musical de “Grey’s Anatomy”. Para quem não gosta do género, recomenda-se que mantenha a distância deste post… mentira, também irei comentar “Fringe” – que, à semelhança das anteriores, já se aventurou pelo musical -, “Shameless” e “Survivor”!

Comecemos pelo pior: “Grey’s Anatomy”. Nunca pensei que fosse ouvir o Dr. Hunt, sempre tão sério e profissional, a cantar no meio dos corredores! Todo o episódio me deu esta sensação de desencaixe, como se números musicais nunca devessem ter surgido numa série como esta. O desconforto era tanto, por vezes, que eu tinha de fazer uma pausa na exibição. Para não falar de que às tantas pensei que os meus olhos fossem saltar das órbitas, de tanto os revirar. Sara Ramirez tem uma voz fantástica e todos os que se atreveram a cantar também não desiludiram, mas a verdade é que os argumentistas perderam uma oportunidade fantástica de criar momentos genuinamente dramáticos, com direito aos diálogos inteligentes que sabemos que conseguem escrever, tendo em vez disso tratado toda a situação de Callie recorrendo à substituição dos mesmos por cantorias. Lame. So Lame.

(Tenho de confessar, no entanto, que a sequência abaixo está muito interessante.)

Contudo, numa série que está no ar há já alguns anos, por vezes o que se pede é mesmo ousadia para se sair da zona de conforto e criar episódios diferentes. Por isso mesmo, há que congratular Shonda Rhimes, que só raramente nos deixa aborrecidos. Já nesta temporada, por exemplo, o episódio estilo documentário fez-me as delícias. Ryan Murphy é outro showrunner sem medo de arriscar…

O mais recente episódio de “Glee” contou, não com os habituais covers, mas com músicas originais. “Get It Right” e “Loser Like Me” são as primeiras duas faixas originais de “Glee”, ambas com grande qualidade, adequando-se perfeitamente à realidade da série. Para nos fazer rir, as hilariantes músicas assinadas por Mercedes, Puck e Santana! Há muito que se esperava pelo beijo entre Kurt e Blain e finalmente aconteceu, de forma simples, mas não insignificante.

Quanto a “Fringe”… uau, quem diria que veríamos já neste episódio o nascimento do bebé de Altivia? O parto foi um dos momentos mais densamente dramáticos de toda a série. Só achei que o facto de o Walternate estar por detrás da situação foi bem previsível. De qualquer forma, tenho lido que os próximos quatro serão repletos de momentos espectaculares. Estou expectante.

“Shameless” terminou. Um final incrível, não concordam?

“Survivor”, há alguns episódios que a temporada deixou de ter tanta piada… mais propriamente, desde que Russel foi eliminado. Seguindo os seus passos, todos os outros concorrentes que tinham vontade de lutar contra as alianças estabelecidas no seio das duas tribos. Uma pena…

Para o fim-de-semana, aconselho a visualização das primeiras duas partes da mini-série “Mildred Pierce”, com que eu próprio me vou deleitar dentro de alguns minutos!

Anúncios

One thought on “Zapping Crítico #4 – Aventuras musicais

  1. Não podia concordar mais contigo em relação a Grey’s. A intenção seria boa se se mantivesse com as cantorias da Callie. Com todos os outros, ficou, como dizes, “desencaixado”. E tirou o dramatismo todo do episódio.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s