The Moodys Effect #16 O Fim

2012

Este tem sido um ano complicado a vários níveis, seja pessoal ou mesmo em termos gerais, de facto as coisas mudam tão rapidamente que por vezes nem damos por elas, ou só nos apercebemos quando tudo acaba. Mas não vale a pena  lamentar a nossa sorte, melhores dias virão. O que me traz hoje aqui é uma pequena retrospectiva sobre o ano que passou. Com algumas estreias relativamente marcantes, séries que terminaram e um futuro pouco promissor.

Mas antes disso quero agradecer o facto de ter sido nomeados nos TCN Blog Awards por um dos textos publicados nesta crónica mensal. Não ganhei, nem esperava, mas ver algo que escrevi levar algum reconhecimento é sem dúvida um orgulho, e portanto tenho de agradecer sobretudo ao Guerra por me ter convidado para fazer parte deste projecto.

E agora vamos olhar para alguns momentos marcantes, sem grandes descrições mas que de alguma forma foram deixando as suas marcas nas várias séries do ano que agora está a terminar.

Continuar a ler

The Moodys Effect #15 – Isto não é só para inglês ver…

Já há algum tempo que vinham a faltar por aqui as séries inglesas, curiosamente até falei numa a crónica passada mas isso agora não interessa nada. Este mês vamos passar uma vista de olhos por três séries distintas do panorama inglês, começando pela terceira temporada de Downton Abbey e como a série se degradou ligeiramente, analisar a recente Hunted e facto de ser uma surpresa fora do habitual da BBC e ainda Bedlam que apesar de já ter sido exibida no verão passado só agora visualizei a segunda temporada.

Continuar a ler

The Moodys Effect #14 – Quem é esse Doctor Who?

E se eu vos falasse de Doctor Who? Provavelmente muita gente ouviu falar da série britânica com quase 50 anos, mas poucos a devem ver, pelo menos não é tão mediática nos amantes de séries como são algumas americanas, mas é muito apreciado no universo geek Sci Fi. Dei por mim no verão passado a pegar na série, achei que era o momento, já tinha visto uns episódios soltos e se calhar pela escolha achei aquilo demasiado estranho. Foi então no momento de coragem que resolvi começar a ver de inicio as 6 temporadas que já existiam, da versão moderna, porque existem muitas mais para trás. Até agora vi as três primeiras e fiquei completamente rendido ao universo de Doctor Who e uma série destas tem tanto por onde puxar que a única maneira de perceberem como a série me fascinou é viajarem comigo através das primeiras temporadas e da riqueza criativa desta série da BBC.

Esta é a história de um Timelord que viaja numa espécie de nave espacial em forma de uma antiga cabine da policia entre o passado, o presente e o futuro. O seu objectivo é ajudar a salvar a humanidade das imensas espécies alienígenas que povoam a galáxia. Mas para isso conta com a ajuda de uma companheira humana.

A TARDIS aguarda-vos nesta viagem temporal.

Continuar a ler

The Moodys Effect #13 – O que esperar quando não se espera nada da fall season?

Eis chegados a mais uma fall season e aqui começa digamos o segundo ciclo desta crónica que fez em Agosto um ano. Na tentativa de não repetir o mesmo esquema do ano passado mas não fugindo ao principal assunto deste mês vamos fazer uma breve passagem pelo que nos espera na fall season, sejam as séries novas sejam os regressos. A tv americana não anda pródiga em séries muito originais, as audiências, o mercado e mesmo a concorrência em várias plataformas dita que os modelos sejam muito mais repetitivos e o olhar rápido sobre a fall season é notória a tentativa de segurar o que ainda resta, mesmo que isso não traga mais ninguém à tv. Claro que é o cabo que acaba por ser quem tem as alternativas, mas mesmo assim não há grandes novidades nesta reentre.

Continuar a ler

The Moodys Effect #12 – Olimpíadas em série

Faz agora um ano que iniciei esta crónica mensal, é com algum orgulho que não me arrependo de nada do que escrevi, mesmo que provavelmente tenha dito algumas asneiras e ou previsto coisas que nem aconteceram. Mas é assim o mundo das séries está sempre a mudar, sempre a trazer novidades, sempre a encerrar ciclos e a alargar os seus horizontes. E a aproveitando esta onda olímpica vou hoje fazer aqui uma pequena brincadeira com algumas séries e os jogos olímpicos. Como estamos a meio do verão vamos relaxar e em vez de me preocupar em analisar o que quer que seja vou despejar parvoíces mesmo. Preparados para as olimpíadas em série? 3 … 2 …. 1 GO!!!

Continuar a ler

The Moodys Effect #11 – Eis o verão… e as séries veraneantes.

É sempre mais complexo falar do verão do que da fall season, sobretudo porque nesta época o cabo fervilha de novidades, regressos e são imensos os canais que cada vez mais que apostam em séries. Se a época normal não nos satisfaz tanto como há alguns anos, o verão é sem dúvida o meu período favorito, não só porque está mais quente mas também porque o leque de opções na ficção aumenta exponencialmente. E este ano não é excepção a juntar ao facto de termos muitas séries novas, mas também despedidas anunciadas. Vamos a isto?

Continuar a ler

The Moodys Effect #10 – 5 Séries, 5 Canais. O fim de uma era!

Há algo no final desta temporada que não podia deixar passar, não são as séries novas, não é o que foi renovado mas sim o que ficou marcado no tempo. Não foi um ano brilhante, não se pode dizer que houve grandes sucessos, não houve grandes surpresas no final da época. Mas este ano de 2012 marca de alguma forma o fim de uma era, coincidência ou não cinco séries canceladas (ou melhor terminadas) que nos deixam foram importantes marcos da última década, uns mais que outros é certo, mas todas elas deixarão memórias do que ainda de bom a tv nos ofereceu. Se o futuro trouxer os frutos do que agora nos deixa podemos dizer que não foi tempo perdido. Certamente muita gente se emocionou com os finais de House, Desperate Housewives e até Chuck e a tv é isto mesmo, feita de emoções e uma variedade enorme de géneros e aqui incluímos One Tree Hill e CSI Miami neste lote de despedidas. Cinco séries, cinco géneros, cinco finais, cinco canais o mesmo objetivo: fazer sonhar. E esta é a minha pequena homenagem a esta curiosa coincidência.

Continuar a ler