Alfabeto das Séries: F

Nesta rubrica baptizada de Alfabeto das Séries, procuro aprender um pouco mais sobre séries que não conheço e dar a conhecer novas séries aos leitores do Imagens Projectadas. Como de costume, mais um post, mais uma letra. F, é a tua vez.

  • Fringe, (2008–2013), Fox, Terminada.

Fringe

Há muito para se dizer sobre Fringe, mas acho que talvez seja capaz de dizer tudo em apenas 5 palavras: Fringe é uma série fantástica. Muitos podem dizer que a série se perdeu muito na quinta temporada (o que não discordo) e que algo lhe faltava nos últimos tempos. Apesar disso, Fringe vale muito a pena, pela sua atmosfera misteriosa, pelos eventos irreais retratados nos episódios, por tudo que faz dela uma série de culto. Entre universos paralelos, acontecimentos inexplicáveis, mutações, os 100 episódios de Fringe são uma viagem que ninguém devia perder.

 Classificação:
starstarstarstarstar

  • Falling Skies, (2011– ), TNT, Parada.

Falling Skies

Em Falling Skies, numa Terra devastada pela invasão de extraterrestres, um professor de história lidera (tecnicamente não lidera, porque não é ele que está no comando na primeira temporada, mas é quase como se liderasse) um grupo de pessoas numa Boston destruída. Com três temporadas transmitidas e uma quarta assegurada, esta é uma série de ficção científica que me vem surpreendendo ano após ano. A primeira temporada foi boa, a segunda foi melhor, e a terceira foi ainda melhor. É daquelas séries que em primeiro se estranha (eu próprio demorei mais tempo do que queria a ver a primeira temporada), mas depois entranha-se.

  Classificação:
starstarstarstarstar

Continuar a ler

Anúncios

Alfabeto das Séries: E

Nesta rubrica baptizada de Alfabeto das Séries, procuro aprender um pouco mais sobre séries que não conheço e dar a conhecer novas séries aos leitores do Imagens Projectadas. Como podem ver, mais uma crónica, mais uma letra. E. E de elefante. E de entusiasmante. E de então vamos lá começar.

  • Eureka, (2006–2012), Syfy, Terminada.

Eureka

Eureka foi uma fantástica série de ficção científica transmitida entre 2006 e 2012. Não sendo muito conhecida, é no entanto uma das minhas favoritas de sempre. Com medo de me alongar demasiado, prefiro redireccionar-vos para este artigo que escrevi no ano passado no Imagens Projectadas, uma espécie de tributo à série, e que resume muito bem a minha opinião em relação a Eureka. Viva Eureka!

 Classificação:
starstarstarstarstar

  • Event, The, (2010–2011), NBC, Cancelada.

The Event

The Event conta a história de Sean Walker, um cidadão comum que ao investigar o desaparecimento da sua noiva, acaba por descobrir uma enorme conspiração contra o Presidente dos Estados Unidos. Esta conspiração involve o nome do seu próprio sogro e fenómemos que aparentemente ninguém é capaz de explicar. Foi chamada a nova “Lost” mas caiu redonda do chão no fim da 1.ª temporada. Uma série deste género devia ter não mais que 8/10 episódios, mas com 22 episódios, The Event tornou-se aborrecida. Embora o início e o fim da série sejam bons, o resto não compensa, por isso não aconselharia esta série.

  Classificação:
starstarstarstarstar

Continuar a ler

Alfabeto das Séries: D

Cá estou eu novamente, desta vez para falar das séries começadas pela letra D. Nesta rubrica baptizada de Alfabeto das Séries, procuro aprender um pouco mais sobre séries que não conheço e dar a conhecer novas séries aos leitores do Imagens Projectadas. Comecemos, então.

  • Doctor Who, (1963–1989, 1996, 2005– ), BBC, Parada.

doctorwhoDoctor Who é o amor da minha vida. Não me canso de falar sobre esta série, mas por uma questão de simplicidade, posso redireccionar-vos para um artigo que escrevi sobre Doctor Who num blog onde fui convidado. Com 50 anos feitos há uns dias, esta série não deixa de inovar e de me surpreender, ocupando por isso o posto de série favorita na longa lista de séries que vejo.

Classificação:
starstarstarstarstar

  • Dexter, (2006–2013), Showtime, Terminada.

Dexter

Dexter é uma série sobre um analista forense especializado em padrões de dispersão de sangue que trabalha no Departamento de Polícia de Miami e nos tempos livres é também um assassino em série. Com 8 temporadas e um total de 96 episódios, Dexter começou em glória e acabou em desgraça. Há quem discorde, mas na minha opinião, Dexter teve quatro temporadas fantásticas e depois começou a piorar, terminando com um final que parece não ter agradado a ninguém. O que aconteceu com esta série foi uma pena, mas apesar da queda de qualidade, é preciso não esquecer a enorme fama que Dexter teve nos primeiros anos.

 Classificação:
starstarstarstarstar

Continuar a ler

Anima-te! – Ranma 1/2

Olá fãs de séries, animes e afins. Antes de mais, peço desculpa pelo meu enorme atraso mas a falta de tempo não me permitiu escrever mais cedo, até porque também não tive tempo de pôr os meus animes em dia.
E como eu só faço maratonas quando tenho que estudar, fui à minha lista e tinha lá Ranma ½ , que eu já tinha começado a ver há montes de tempo, mas só agora me dediquei a sério.

497-1

Portanto, a história anda à volta de Ranma, um rapaz/rapariga. Calma, nada de transsexuais. Ranma é um estudante de artes marciais, tal como o seu pai, que foi treinar para a China mais precisamente para o campo Jusenkyo onde existem várias fontes amaldiçoadas. Ranma caiu numa delas transformando-se numa rapariga, e o seu pai num panda. E apenas quando são molhados com água quente voltam ao seu estado normal. Quando voltam para o Japão o seu pai diz-lhe que tem casamento marcado com uma rapariga que ele nunca viu. Acontece que, tal como ele, ela é perita em artes marciais.

Não há nada de triângulos amorosos chatos e clichés entre Ranma e Akane (a prometida de Ranma), é muito mais que isso, é quase um hexágono.  E o fixe na relação deles é que ambos são iguais e tem as atitudes mais nonsense do mundo, não só eles como também as outras personagens.
Ranma ½ é capaz e deixar uma pessoa com poker face durante um episódio todo porque o que está a acontecer é a cena mais estranha mas ao mesmo tempo  mais engraçada de sempre. E é exatamente por isso que eu gosto do anime.
Depois disto é normal acharem que o anime é todo lamechas e só em torno de eles os dois, mas não. Há imensas personagens e cada vez aparecem novas, muitas delas que também caíram num dos lagos amaldiçoado, tal como Ranma.
Se gostam de artes marciais este é o anime ideal, apesar de muitas se notarem, como é óbvio, que são pura ficção outras estão até bem feitas.

Na primeira e segunda temporada, que são aquelas que vi,  é importante ver o desenvolvimento da relação deles e isso nota-se nos pequenos detalhes e nas frases que eles dizem ao longo dos episódios. A simplicidade das personagens e o facto de serem todas tão parecidas a cada um de nós faz com que seja mais fácil gostar do anime.

No entanto, e se calhar vou dizer isto um pouco cedo visto que ainda não passei da segunda temporada, parece-me que o anime vai perder a piada. Visto que, desde o inicio, se sabe que o final é que eles os dois vão ficar juntos (é o que todos esperamos, pelo menos) é provável que seja complicado continuar uma história infinita sobre as dificuldades de eles gostarem um do outro apesar de o anime ter mais história, essa será sempre o conteúdo principal. Quero eu dizer que é capaz de se tornar cansativo, para quem está a ver, tantas irritações quando se sabe que o comum é eles ficarem juntos.

Cemitério de Séries #7 – Arte e Vampiros

A 2a temporada de The Mindy Project começou – já tinha divagado por aqui sobre a 1a temporada – e deixou-me ligeiramente desiludida. Desiludida, talvez não seja a palavra certa; os episódios não são muito diferentes do que nos tinham habituado, mas pareceu-me que faltou algo neste início.

Logo no 3º episódio, Mindy acaba o namoro com Casey, o pastor religioso com quem tinha seguido em trabalho para o Haiti (out of character para uma personagem que é mostrada como egoísta, mas com motivações explicadas na temporada passada) o que deu um novo fôlego à série. Mas esta break-up é seguida por uma cena em que os quatro rapazes da sua clínica a procuram consolar enquanto ela chora agarrada a uma peça de lingerie dentro do seu armário, algo demasiado à New Girl para o meu gosto.

Desta mão cheia de episódios, está contudo um dos meus preferidos. “Weiner Night” tem uma crítica àquilo que consideramos ou não arte, com Mindy a ter esta reacção perante uma exposição de fotos em nu de Danny.

E é aí que está a razão porque vou continuar a seguir esta série.

Entretanto, decidi começar a ver Dracula. Ora, isto pode parecer estranho tendo em conta que tenho uma certa aversão a gore e terror no geral.
E de facto é estranho, mas posso garantir que valeu a pena sair da minha zona de conforto. Os dois episódios disponíveis até agora, não estando espectaculares na minha opinião, conseguem ao mesmo tempo não ter demasiadas pretensões (afinal, o Drácula é um vampiro e este não é dos temas recebidos mais a sério, ainda estando tão fresca a memória dos outros vampiros que brilham ao sol). Não conhecendo a história original e nunca tendo assistido a nenhuma adaptação, agrada-me a história passar-se na era vitoriana, o rol de personagens secundárias interessantes – incluindo personagens femininas que até agora parecem ser mais do que props no enredo, mas principalmente o carisma deste Drácula. Para acompanhar.

Alfabeto das Séries: C

Duas semanas depois, estou de volta com a letra C. Nesta rubrica baptizada de Alfabeto das Séries, procuro aprender um pouco mais sobre séries que não conheço e dar a conhecer novas séries aos leitores do Imagens Projectadas. Vamos a isso.

  • Community, (2009– ), NBC, Parada.

community

Community é, facilmente, uma das melhores comédias que eu já vi. As primeiras três temporadas foram geniais e fizeram-me avaliar em perspectiva outras séries de comédia que eu via – e a avaliação dessas tais séries foi fraquinha. E por falar em fraquinha, é esse o adjectivo que escolho para descrever a quarta temporada de Community, afectada pela polémica entre Dan Harmon (o showrunner) e Chevy Chase (Pierce Hawthorne), que acabaram por abandonar a série. Agora, para a quinta temporada, o showrunner original voltou, mas outro dos actores principais prepara-se para sair. Community já nunca será como antes, mas pode ser que ganhe um pouco do seu brilho. Só o tempo o dirá.

Classificação:
starstarstarstarstar

  • Chuck, (2007–2013), NBC, Terminada.

chuck2Chuck nunca foi uma série genial, mas sempre me cativou pela sua simplicidade e pela forma como (quase) todos os episódios acabavam bem e nos deixavam com um sorriso na boca. Tal como já tive oportunidade de dizer numa das minhas primeiras crónicas aqui no Imagens Projectadas, as duas últimas temporadas já estavam um pouco desgastadas e desiludiram bastantes fãs, mas mesmo assim, agora que a série acabou, não deixaria de a aconselhar a alguém que nunca a tivesse visto.

Classificação:
starstarstarstarstar

Continuar a ler

Alfabeto das Séries: B

Mais um post, mais uma letra, desta vez o B. Nesta rubrica baptizada de Alfabeto das Séries, procuro aprender um pouco mais sobre séries que não conheço e dar a conhecer novas séries aos leitores do Imagens Projectadas. Vamos então a isso e espero que gostem!

  • Breaking Bad, (2008–2013), AMC, Terminada.

breaking bad

Breaking Bad sempre foi uma óptima série, mas quando estava a caminhar para o fim, a sua popularidade aumentou de uma forma estrondosa. Mas mereceu toda a atenção que recebeu. Quem a conhece, sabe de que obra de arte é que estou a falar; quem não a conhece provavelmente viveu debaixo de uma rocha nos últimos anos. E para essas pessoas, posso dizer que a série introduz-nos um professor de Química diagnosticado com cancro do pulmão e que acaba por começar a produzir metanfetaminas com um antigo aluno de forma a deixar dinheiro para a sua família. Só que a série é muito mais do que isso. É a viagem de uma vida.

Classificação:
starstarstarstarstar

  • Big Bang Theory, The, (2007– ), CBS, Em exibição.

big bang theory

The Big Bang Theory é uma comédia bastante popular da CBS. Quando a série estreou, apresentou-nos dois físicos brilhantes e como a sua vida social (que era constrangedoramente inexistente) mudou quando uma rapariga gira se mudou para o apartamento em frente. Actualmente, tenho a impressão que é uma série sobre um grupo de pessoas minimamente suportáveis que lidam com um indivíduo com óbvios problemas mentais. Mesmo que já não simpatize tanto com o fan favorite Sheldon, continuo a ver a série porque é engraçada e serve o seu propósito de fazer rir, mas não é nada de especial, quando comparada a outras comédias.

Classificação:
starstarstarstarstar

Continuar a ler