The Magic Box(er) #2 – Séries para dias complicados

boxerSim, foram longas as férias, mas aqui estamos nós para mais uma temporada de crónicas. Sabem aqueles dias em que, depois de um dia de trabalho que vos deixou estoirado, onde a cabeça vos parece explodir em pouco tempo, e que as pálpebras tendem a fechar-se sem vocês quererem? É nesses dias que nem todas as séries são aceites, em que Mad Men é aborrecimento, em que Breaking Bad é confuso, em que Doctor Who é impossível, onde até Dexter não vos consegue despertar uma gargalhada que seja. Para isso, meus amigos, tenho a solução…

Eu, na minha falta de cultura de termos de séries de 45 minutos (xô, comédias!), por vezes divido-as em dois tipos: complicadas e leves. É destas últimas que tentarei falar. Daquelas séries que nunca chegarão aos grandiosos prémios, mas que estão cá no nosso cantinho com a memória de serem a salvação em dias complicados que já mencionei. Bones é uma delas, Nashville talvez seja a novata que mais se encaixa neste conceito…mas há 5 exemplos que gostaria de falar: Continuar a ler

Anúncios

The Magic Box(er) #1 – Fringe, a série transformista

boxerBoas tardes, pessoas com uma unha em cada dedo. Os restantes não são cá bem vindos…são critérios da direcção deste estamine. Tudo bem? Ainda bem. E depois dizem que este blog não se preocupa com o vosso estar. Ah! O The Magic Boxer é a nova crónica (deixará de ser velha quando eu mudar outra vez de crónica…não sejam piquinhas) deste marmanjo que vos escrevo. É um trocadilho deveras engraçado entre a caixinha mágica e eu ser o gajo que calça as luvas para deixar as séries com olhos negros. Desta vez é Fringe…

Fringe, ai Fringe. Já escrevi no final do ano que eras a série galinha. Foi um pormenor: és a série desta temporada que parece que cortaram a cabeça e agora andas aí, feita tonta, parecendo que não sabendo para onde vais. Enquanto um esguicho de sangue dispara pela tua aorta…achei por bem trazer uma imagem realista a este texto.

Mas o que se encontra em Fringe é um caso inexplicável. E sei que há gente que está a gostar da temporada. Eu nem posso dizer que tenha estado má. Está razoável. O problema é que Fringe tem a data marcada para terminar na próxima sexta-feira, com episódio duplo. Essa data está fixada desde o início da temporada. Toda a gente sabia que a série teria 13 episódios e lá iria à vida. Tal como se fazem chocapics…E que isso trouxe à série?

[SPOILERS SOBRE O 11º EPISÓDIO DA SÉRIE]

Continuar a ler