Séries para o Verão, por Miguel Bento

Falling-Skies

É sempre complicado deixar uma ou duas sugestões de verão neste universo cada vez mais extenso de séries de tv, portanto é necessário estabelecer alguns critérios daquilo que alguém está interessado em ver. A questão do tempo é uma delas, é certo que o verão há as férias e há mais tempo mas ninguém gosta de perder dias inteiros a ver o mesmo, pelo menos eu não.  Deste modo as séries curtas são o ideal, temporadas no máximo de 10 a 13 episódios. Mas quando se procura uma série nessa linha reparamos que o cabo americano (e a tv inglesa) fazem questão de nos dificultar com as durações cada vez mais curtas. Então entramos no segundo critério que é o género: podemos ir pelo sci fi, pela comédia ou pelo drama/policial e aí talvez as escolhas comecem a reduzir. É nestes critérios que vos deixo algumas sugestões de verão cada uma bastante diferente:

Continuar a ler

Anúncios

Um pouco mais de verão

orphan-black-feature

O verão é tendencialmente a época do ano que eu mais gosto em relação ás séries, ao contrário da fall season que é altamente cansativa para perceber o que é bom ou mau das quantidades industriais de séries que estreiam ou regressam. Nesta época ficamos mais à vontade há menos séries e é possível ir buscar o que ficou atrasado. Depois há a vantagem das temporadas serem mais curtas e a qualidade da maioria das séries não desilude.
Vou fazer uma breve ronda pelo que tenho visto nestes últimos tempos, não são necessariamente as séries que estrearam no verão mas sim as que eu tenho visto agora,  que serve também de sugestão para quem não sabe o que ver. Naturalmente a maioria das sugestões são do cabo como seria de esperar mas este ano os canais abertos até apostaram um pouco mais do que o habitual embora a qualidade comparativamente ao cabo seja de lamentar. A seguir ao salto.

Continuar a ler

MALTA– os Momentos Altos (e Lows) da TV deste Ano – por Miguel Bento

MALTA– os Momentos Altos (e Lows) da TV deste Ano - por Pedro Rodrigues

Quando olhamos para o ano em revista a nossa tendência é ir rapidamente buscar aquelas séries que são muito mediáticas, aquelas que todos adoram e alguns flops épicos. Como sou dos últimos a chegar a esta revista do ano vou tentar sair um bocado da linha e recordar algumas das séries ou momentos que não sendo tão mediáticos deixam alguma marca. Para mim este foi mais um ano de séries inglesas que americanas, sobretudo o aumento de qualidade das primeiras e o marasmo cada vez mais evidente das segundas. Venham comigo viajar pelo ano de 2012.

Continuar a ler

MALTA– os Momentos Altos (e Lows) da TV deste Ano – por Sara Deodato

Eu sou um bocado suspeita para estar a falar de séries assim como uma especialista, dizendo o melhor e pior do ano, visto que que só este ano é que realmente me agarrei às séries. Sim, sempre fui menina de ver filmes e nunca sentia a vontade de me comprometer em ver todos os episódios de uma série. Dava muito trabalho.

Depois lá decidi que era tempo de me agarrar a estas coisas e comecei a ver séries que, ou já estavam na minha lista há meses (ou anos) ou que me foram aconselhando ao longo do ano. Por isso é que, provavelmente, vão achar estranhas algumas das minhas escolhas, mas hey, foi o que andei a visionar este ano, tá? Além disso, eu sou uma pessoa complicada de escolher apenas uma coisa de que goste, logo vai haver mixordias para aqui. Continuar a ler

MALTA– os Momentos Altos (e Lows) da TV deste Ano – por Babs

Este ano foi aborrecido em termos de series e para não vos aborrecer também com introduções, cá vão os meus prémios para o que vi em 2012.

Melhor sesta a ver uma serie

Glee – Season 4

Eu segui Glee desde o princípio mesmo quando outras vozes se levantavam, e até estava a gostar desta temporada porque Nova Iorque! Mais malta gira! Mais músicas! (e quem vê Glee sabe que não se pode pedir mais do que isso.)

Uns episódios à frente, já aquela miúda sem sal tinha sido promovida a quase protagonista, adormeci. Literalmente. Em frente ao PC. Pensei que estava com sono, mas quando tentei ver o episódio seguinte aconteceu o mesmo. E o seguinte – logo aos 15 minutos. Portanto, 5* para Glee por me ajudar a manter as horas de sono recomendas.

Melhor one night stand

Nashville – 1.01 – Pilot

Numa noite aborrecida decidi ver o pilot de Nashville e achei que tinha descoberto a melhor coisa de sempre, foram 45 minutos interessantes sobre musica e politica e estrelas que já perderam a fama.

Entretanto vi as reviews por aqui e dizia o chefe que os episódios seguintes eram vira o disco e toca o mesmo e vá, não estou assim tão aborrecida para ver mais horas do mesmo. Ok, Nashville, foi divertido enquanto durou.

Maior ‘Whyyy?’ [SPOILERS] Continuar a ler

Diálise dominical #1 – Mamas, chapéus de cowboys e desfribrilação de dinoussauros

Como está na moda, vamos começar este post de forma original: boa tarde caras pessoas. Tudo bem pelo trabalho? Depreendo que estejam a ler isto em vez de realizarem o que o vosso chefe vos diz para fazer. Mas depois lembro-me dos sites pornográficos. Então recomeçando: boa tarde, caros leitores que decidiram passar por aqui. “Que consistirá esta crónica, semanal (esperemos que a mim me apeteça escrever todas as semanas)?”, perguntam-se vocês. Ainda bem que se questionam isso. Facilita-me o trabalho. Sabem aqueles espaços que, no final de cada ano, aparecem nos espaços de informação nacional? “2011 – O ano da crise revisitado”, por exemplo. Sabem? Em vez de fazer isso no final de cada ano, farei no final de cada semana, com um pequeno resumo do que se passou. “Mas, ò António, quantas vezes tentaste isso e depois te cansaste?”. Várias. Mas agora vai resultar. Há que ter confiança! Agora as circunstâncias são diferentes! Tenho muito mais trabalho na universidade e tudo! Vai resultar!

Quando vocês chegam a casa, o que vos apetece? (para além de ter a Sport TV de graça para ver o Benfica…isso não conta (PS: sou portista, mas acho que ter a Sport TV de graça é desejo de qualquer ser hum…espera, existe a internet)) Uma boa série, como é óbvio. Assim sendo, é com bons olhos que se dá o regresso, nesta semana, de Community. Assim, e para festejar o seu regresso, a NBC decidiu dividir-se em duas frentes: promos (escolho o brilhante Will Chang e os trabalhos dos actores durante o hiatus – mais vídeos aqui) e os webisódios que podiam-se passar na cabeça do Abed (Parte I e II). Tudo pronto?

Falando de boas séries, temos duas boas notícias: regresso de Mad Men e renovação de Justified. A primeira, com a campanha publicitária em ebulição (se querem ebulição+Mad Men, ler post até ao fim), prepara o seu regresso com as fotos do elenco. Já Justified, como já referi, está a ser a melhor série que por este PC passa (“como vês séries no PC, António?”), foi renovada para uma quarta temporada. Que digo a vossas senhorias? Que se não vêem a série, merecem um tiro…mas dado por Raylan Givens.

De renovações passamos para cancelamento. O final de Skins foi a notícia da semana, e assim acaba os Morangos com Açúcar britânicos, ou seja, com mais qualidade (e sexo mais explicito). Para acabar, teremos três episódios especiais, divididos em duas partes cada, porque o peixe ainda é para render.

Continuar a ler