Alfabeto das Séries: F

Nesta rubrica baptizada de Alfabeto das Séries, procuro aprender um pouco mais sobre séries que não conheço e dar a conhecer novas séries aos leitores do Imagens Projectadas. Como de costume, mais um post, mais uma letra. F, é a tua vez.

  • Fringe, (2008–2013), Fox, Terminada.

Fringe

Há muito para se dizer sobre Fringe, mas acho que talvez seja capaz de dizer tudo em apenas 5 palavras: Fringe é uma série fantástica. Muitos podem dizer que a série se perdeu muito na quinta temporada (o que não discordo) e que algo lhe faltava nos últimos tempos. Apesar disso, Fringe vale muito a pena, pela sua atmosfera misteriosa, pelos eventos irreais retratados nos episódios, por tudo que faz dela uma série de culto. Entre universos paralelos, acontecimentos inexplicáveis, mutações, os 100 episódios de Fringe são uma viagem que ninguém devia perder.

 Classificação:
starstarstarstarstar

  • Falling Skies, (2011– ), TNT, Parada.

Falling Skies

Em Falling Skies, numa Terra devastada pela invasão de extraterrestres, um professor de história lidera (tecnicamente não lidera, porque não é ele que está no comando na primeira temporada, mas é quase como se liderasse) um grupo de pessoas numa Boston destruída. Com três temporadas transmitidas e uma quarta assegurada, esta é uma série de ficção científica que me vem surpreendendo ano após ano. A primeira temporada foi boa, a segunda foi melhor, e a terceira foi ainda melhor. É daquelas séries que em primeiro se estranha (eu próprio demorei mais tempo do que queria a ver a primeira temporada), mas depois entranha-se.

  Classificação:
starstarstarstarstar

Continuar a ler

Anúncios

Roleta Russa: Quem os viu e quem os vê…

Ano novo, vida nova ou neste caso nova Fall Season, nova rubrica aqui no imagens. Desta vez resolvi criar uma rubrica com tema livre a Roleta Russa, basicamente o tema mensal irá variar consoante a disposição. Para iniciar a rubrica escolhi o tema: “Quem os viu e quem os vê…” . Aqui a ideia é explorar actores ou actrizes que aprendemos a gostar e que muitas vezes são a causa de vermos uma série, uns constituem uma agradável surpresa outros levam-nos a perguntar onde anda o brilho perdido.

Comecemos por Scott Porter, ou melhor o eterno Jason Street. Numa série recheada de estrelas desconhecidas mas nem por isso menos brilhantes, Scott Porter conseguiu brilhar e conquistar o meu coraçãozinho e ele é um dos motivos para actualmente seguir a série da CW Hart of Dixie. Mas o George de Hart of Dixie não chega aos calcanhares do Jason, personagem chata, sem sal e que apenas serve para formar um triângulo amoroso com Zoe e Wade. E digamos que perde 1000-0 com o seu oponente direto. Após uma temporada inteira Jason Street ainda não conseguiu pegar na personagem e mostrar o seu valor na série. Que saudades de Scott Porter!!!! Continuar a ler

Programas Mortos – Ding! Ding! Ding! We have a winner!

A temporada mal começou e já temos o primeiro programa morto! Sim, é com uma exclamação e dizendo “I love the smell of napalm in the morning” que começa, a sério, a temporada 2012-2013. Mob Doctor é o primeiro programa oficialmente morto da temporada, ao arrancar com audiências piores que uma repetição de 2 Broke Girls.

Continuar a ler

As Séries e a Música #6 – Friday Night Lights

Olá pessoas! Long time no see! Após um interregno de algumas semanas sem ver séries, eis que voltei ao vício com Friday Night Lights.

F.N.L é uma série que se baseia num livro e também num filme com o mesmo nome. Cheguei até ela devido à banda sonora, que é composta maioritariamente pelos Explosions in The Sky. Ainda que tenha sido composta de propósito para o filme, e não para a série.

Aqui podemos ver retratado o quotidiano de uma pequena equipa de futebol americano juvenil, os Dillon Panthers. Dillon, uma cidade imaginária, situada no Texas, é uma pequena localidade rural, onde a maioria dos habitantes são bastante conservadores. E onde as sextas-feiras são sempre santas.

A série foca-se muito no treinador Eric Taylor (interpretado pelo Kyle Chandler) e em todos os dilemas que vai atravessando ao longo das temporadas. O “Coach Taylor” é, a meu ver, um homem carismático, cheio de força de vontade e perseverante. É uma alma boa, justo e um pouco casmurro, porque ninguém é perfeito. Apesar de defender os seus jogadores acima de tudo, tem a capacidade de os castigar sempre que é necessário. É casado com a Tami Taylor (Connie Britton), com quem tem duas filhas: a Julie (Aimee Teegarden) e a Gracie (Madilyn Landry).

Continuar a ler

Monday’s Morning Mirror #10 – NBC (Nenhuma besta é culpada)

Ora boa noite a todo o vasto auditó…esperem. Não, são meninos giros, meninas bonitas, que visitam este blog. Não precisam de ser comparados a um auditório, onde existem pessoas com verrugas no pescoço, ali na junção da nuca e das costas. Então, tudo bem pelos recantos de vossas casinhas? Ainda bem. Vamos ao que interessa? Vamos. (…)

Pronto, tratado o sexo, vamos escrever.

Desta vez vamos falar do tema que mais gente adora e toda a gente já fez: bater nos mortos. Género um TWD mas com um drama mais rápido do que procurar uma rapariga enfiada num celeiro, género: “Aonde está o Pedro? (sendo o Pedro um bebé com um lenço sobre a cabeça)…Está ali!!!”. Não, será bater num morto que, apesar de tudo, continua muito vivo. Mas a NBC é cada vez um canal a falecer, género um paciente de House que está prestes a morrer por danos do fígado, que causa olhos amarelos. E aqui será este marmanjo será o Chase: o gajo mais sexy e com um sotaque australiano da série.

A NBC sempre foi um canal minimamente engraçado. Teve Friends. Teve a primeira temporada de Heroes. Tem Community. Teve a segunda temporada de Chuck. Teve ER. Teve Get Smart. E teve a primeira temporada de FNL. O canal teve talvez o maior sucesso com Friends, e a partir daí foi mais ou menos género uma torre da babilónia a cair, a cair, a cair…

Continuar a ler

Vamos falar em números…#3

Contrariamente ao previsto, este mês faço uma pausa na lista de séries abandonadas e faço a lista das melhores séries do ano para mim. Claro que as opções dependem sempre do gosto pessoal e principalmente das séries que tenho o privilégio de seguir, portanto certamente muitos teriam outro top.

1-      Friday Night Lights – Sim tinha de ser, FNL despediu-se de nós este ano e merece sem dúvida todo o reconhecimento. Foram 5 temporadas magníficas, com episódios brilhantes e dramáticos. Certamente até ao momento a série que mais prazer tive em assistir a cada episódio.

Continuar a ler

Os melhores do ano – Filipa Silva

Com algum atraso mas ainda antes da entrada do novo ano, aqui ficam o top dos melhores para mim. E como não devo publicar mais nenhum artigo aqui no imagens antes do final do ano, desejo a todos os leitores um óptimo 2012, que seja recheado de boas estreias, manutenção da qualidade das actuais e grandes despedidas para mais tarde recordar. E já agora um óptimo ano aqui para o Imagens que consiga marcar posição num mundo tão vasto como a internet. Cuidado com o álcool pessoal…beber sempre com moderação. Continuar a ler