Alfabeto das Séries: A

Tal como prometido, aqui estou eu de volta com uma nova rubrica. Com o Alfabeto das Séries, pretendo percorrer todas as letras e falar um pouco das séries mais relevantes (não só das séries que vi por completo, mas também daquelas que nunca vi sequer um episódio). Assim, procuro aprender um pouco mais sobre séries que não conheço e dar a conhecer novas séries aos leitores do Imagens Projectadas. Nesta que é a primeira edição, falarei obviamente das séries começadas pela letra A.

  • Arrow (2012– ), The CW, Em exibição.

ARROW

Arrow, actualmente na sua segunda temporada, é a adaptação televisiva da banda desenhada Green Arrow, da DC Comics. Conta a história de Oliver Queen, um jovem playboy milionário que naufraga ao largo de uma ilha aparentemente deserta e volta a casa cinco anos depois… mudado. Apesar das minhas incertezas, a primeira temporada esteve bem, com os seus altos e baixos, mas é boa de ver. Tem muita acção e muitas cenas de luta, mas por outro lado também tem muitos jovens bonitinhos (mas que não é surpresa para quem conhece as séries do CW) e uma narrativa um pouco novelizada.

Classificação:
starstarstarstarstar

  • Arrested Development (2003–2006, 2013– ), Fox/Netflix, Parada.

arrested

Arrested Development dispensa apresentações. Quem a viu sabe que é facilmente uma das melhores comédias alguma vez criadas e quem não a viu está mais que a tempo para entrar no mundo destas personagens. Depois de ser cancelada e ser reanimada pela Netflix anos depois, Arrested Development teve bastante mais visibilidade e uma continuação da quarta temporada está definitivamente em cima da mesa.

Classificação:
starstarstarstarstar

Continuar a ler

Anúncios

Camões Lunático #7 – Desempregado e parado

Quando vocês estão sem imaginação, o que é que costumam fazer? *ouvindo as vossas respostas* Vão à Internet, pois claro! Pois bem, eu também estou sem imaginação agora. Em parte porque não tenho visto muitas séries, mas principalmente porque…não tenho visto muitas séries.

As poucas séries que tenho visto não são “comentáveis”: The Simpsons, Family Guy, The Cleveland Show e American Dad. Não tenho tempo para ver mais nada. O “eu” que outrora comia séries à colherada continua suspenso. Mas ainda há tempo para comentar uma ou outra coisa.

Agora que já estou “desempregado”, já comecei a ter mais tempo livre, mas não o suficiente. Até agora deu para ver três episódios de House of Lies e deixem-me que vos diga: já teve melhores dias.

Também li por aí uns rumores que a BBC poderá fazer um filme para acabar a série The Hour, que cancelaram no final da segunda temporada. Ora, eu não acredito nisto. Muito simplesmente por uma razão: se não gastam dinheiro na produção de uma série por “não ter” espectadores suficientes, também não vão gastar num filme. Mas, se o fizerem, vou ficar bastante satisfeito por darem um final à série.

E por falar em filmes…já ouviram falar d’O Fundamentalista Relutante? Não? Deviam. É um filme espectacular. Em Abril, prometi trazer-vos mais novidades…tenho de falhar a essa promessa. Simplesmente não tenho tido tempo para isso. Mas vou tentar em Junho. Até lá, tenham um bom início de Verão.

Upfronts 2013: Fox – Uns quantos erros e poucas mudanças

Depois de ontem ter sido a vez da NBC, chega (com um dia de atraso) as novidades da FOX. A emissora americana trouxe algumas surpresas, sendo a principal o conceito de Late Fall, onde faz alterações no horário. Mas o melhor é começar a analisar diariamente:

Segunda-Feira

Nas segundas, a FOX inicialmente coloca Bones seguida da nova série, Sleepy Hollow, que explora uma história de um cavaleiro sem cabeça. O trailer (em baixo) é engraçado, e a série até pode resultar depois de Bones.

A FOX pelo menos espera isso, visto que lá para Outubro, em vez de Bones é Almost Human que faz parelha com Sleppy Hollow. O drama futurista, que tenta ter piada no trailer, é um procedural que irá explorar um futuro onde robots e humanos trabalham em conjunto…sinceramente, pode resultar, mas não será brilhante. Talvez por causa do J.J.Abrams se safe, apesar de que as ideias dele já não valem grande coisa.

Continuar a ler