Sobre Tiago Vitória

Com uma maioridade ainda não assimilada e um sentido crítico mordaz e apurado, aqui me encontro eu, entre vós, a comentar a generalidade da cinematografia e do audiovisual televisivo com toda a pompa que a circunstância me permite.

Inutilidade Audiovisual: Revenge

Meus pequerrucho, que estavam à espera que a minha vida pessoal fosse entorpecida de minutos sobrantes que me possibilitassem um momento de escrita aqui para o IP, trago-vos a Inutilidade Audiovisual: Revenge.

Saberemos que algo está mal assim que dois Mundos colidirem e ninguém se aperceber que os efeitos nefastos da sua colisão estragaram o melhor que eles tinham.

Posto isto, juntemos agora ao nosso imaginário cultural o livro, ou mais concretamente a ideia, de Alexandre Dumas quando escreveu “O Conde Monte Cristo”. Agora, coloquemos, juntamente com a obra literária de Alexandre Dumas, uma paródia frívola e deveras sensaborona passada em Hamptons. Não obstante, tragam para a misturadora, os  produtores do “Crepúsculo” e uma protagonista que parece saída das comédias do Peter Segal, mas que em vez de um ar enfadonhamente divertida, tem um ar enfadonhamente ameaçador onde cada sorriso é procedido de um seco e repetitivo olhar matador, plano após plano.

“Revenge” é algo que não encaixa. Quando soube que a ABC ia trazer ao ecrã (mais) uma adaptação da história do “Conde Monte Cristo” eu pensei cá para mim “Hmmm, eu que já li o livro e vi a adaptação da SIC com o Diogo Morgado, estarei à espera que isto me venha acrescentar qualquer coisa?”. Na verdade nem sequer devia ter pensado nisto. Quando vemos um Diogo Morgado em modo “Vais-te foder!” sabemos que mais nenhuma adaptação audiovisual, seja da SIC ou da ABC, vai resultar em pleno.

Continuar a ler

Inutilidade Audiovisual

Olá amigos! Rejubilo em saber que se encontram todos bem. O meu nome é Tiago Vitória. De certo que se forem exclusivamente leitores deste espaço, não me conhecem. No entanto, se forem frequentadores das mais variadas plataformas de comunicação de que há referência, notarão que eu me encontro espalhado aqui e ali. Sou blogger (http://tiagovitoria.blogs.sapo.pt), consultor de opinião – vulgo twitter – e estudo audiovisual. Não é que as apresentações se estendam por aí além mas encontro regozijo em me apresentar para quem quiser ler e subscrever a minha coluna mensal aqui no IP.

Todos os meses, escrever-vos-ei dos meus aposentos aquilo que realmente achar inoportuno vocês tomares conhecimento de causa. Por outras palavras, todos os meses, com falha canónica no dia de Natal e noutros que achar de bom agrado comunicar, eu serei o veículo transmissor das mais irascíveis e perturbantes produções que por aí anda – e andaram. No fundo, e em parcas palavras, trazer-vos-ei com toda a pompa que a circunstância deste convite me permite: inutilidade audiovisual. Por vezes, nem é que seja intrinsecamente mau – talvez existirá alturas em que a minha abordagem será feita a uma série televisiva que vocês acompanham – no entanto, aquilo que tentarei demonstrar é como uma ideia aparentemente boa consegue ser destruída e deficientemente produzida, seja pelo realizador que não aproveitou a ideia ou pelo argumentista que não foi criativo o suficiente para a exploração da premissa da série.

Tentarei dar um bocado de mim e dos meus estudos em audiovisual para abordar os temas e os produtos a que me propus, mesmo que estes nem sequer sejam comestíveis e me queiram mostrar o quanto a embalagem vermelha de rennie tem propriedades milagrosas.

Apesar da circunstância, lembrem-se…tudo o que lerem, será apenas a minha humilde opinião e valerá tanto que concordem com aquilo que escrevo, ou que simplesmente não o façam. Apenas me cheguem qual é o lado que vocês partilham!

Até já meus caros.