Upfronts 2013: Fox – Uns quantos erros e poucas mudanças

Depois de ontem ter sido a vez da NBC, chega (com um dia de atraso) as novidades da FOX. A emissora americana trouxe algumas surpresas, sendo a principal o conceito de Late Fall, onde faz alterações no horário. Mas o melhor é começar a analisar diariamente:

Segunda-Feira

Nas segundas, a FOX inicialmente coloca Bones seguida da nova série, Sleepy Hollow, que explora uma história de um cavaleiro sem cabeça. O trailer (em baixo) é engraçado, e a série até pode resultar depois de Bones.

A FOX pelo menos espera isso, visto que lá para Outubro, em vez de Bones é Almost Human que faz parelha com Sleppy Hollow. O drama futurista, que tenta ter piada no trailer, é um procedural que irá explorar um futuro onde robots e humanos trabalham em conjunto…sinceramente, pode resultar, mas não será brilhante. Talvez por causa do J.J.Abrams se safe, apesar de que as ideias dele já não valem grande coisa.

Continuar a ler

The Magic Box(er) #2 – Séries para dias complicados

boxerSim, foram longas as férias, mas aqui estamos nós para mais uma temporada de crónicas. Sabem aqueles dias em que, depois de um dia de trabalho que vos deixou estoirado, onde a cabeça vos parece explodir em pouco tempo, e que as pálpebras tendem a fechar-se sem vocês quererem? É nesses dias que nem todas as séries são aceites, em que Mad Men é aborrecimento, em que Breaking Bad é confuso, em que Doctor Who é impossível, onde até Dexter não vos consegue despertar uma gargalhada que seja. Para isso, meus amigos, tenho a solução…

Eu, na minha falta de cultura de termos de séries de 45 minutos (xô, comédias!), por vezes divido-as em dois tipos: complicadas e leves. É destas últimas que tentarei falar. Daquelas séries que nunca chegarão aos grandiosos prémios, mas que estão cá no nosso cantinho com a memória de serem a salvação em dias complicados que já mencionei. Bones é uma delas, Nashville talvez seja a novata que mais se encaixa neste conceito…mas há 5 exemplos que gostaria de falar: Continuar a ler

The Magic Box(er) #1 – Fringe, a série transformista

boxerBoas tardes, pessoas com uma unha em cada dedo. Os restantes não são cá bem vindos…são critérios da direcção deste estamine. Tudo bem? Ainda bem. E depois dizem que este blog não se preocupa com o vosso estar. Ah! O The Magic Boxer é a nova crónica (deixará de ser velha quando eu mudar outra vez de crónica…não sejam piquinhas) deste marmanjo que vos escrevo. É um trocadilho deveras engraçado entre a caixinha mágica e eu ser o gajo que calça as luvas para deixar as séries com olhos negros. Desta vez é Fringe…

Fringe, ai Fringe. Já escrevi no final do ano que eras a série galinha. Foi um pormenor: és a série desta temporada que parece que cortaram a cabeça e agora andas aí, feita tonta, parecendo que não sabendo para onde vais. Enquanto um esguicho de sangue dispara pela tua aorta…achei por bem trazer uma imagem realista a este texto.

Mas o que se encontra em Fringe é um caso inexplicável. E sei que há gente que está a gostar da temporada. Eu nem posso dizer que tenha estado má. Está razoável. O problema é que Fringe tem a data marcada para terminar na próxima sexta-feira, com episódio duplo. Essa data está fixada desde o início da temporada. Toda a gente sabia que a série teria 13 episódios e lá iria à vida. Tal como se fazem chocapics…E que isso trouxe à série?

[SPOILERS SOBRE O 11º EPISÓDIO DA SÉRIE]

Continuar a ler

Golden Globes 2013 – Quando as modas não são assim tão jeitosas (Comentário)

Numa noite onde o pessoal de SNL fez da cerimónia dos Golden Globes das melhores dos últimos anos (Tina Fey e Amy Poehler estiveram brilhantes no monólogo, acompanhados por Will Ferrell e Kristen Wiig num dos melhores momentos da noite), notou-se que há modas que pegam e que não largam. E se, no ano passado, parece que Glee acabou o seu ciclo, outro começou.

Melhor Drama

Boardwalk Empire (HBO)
Breaking Bad (AMC)
Downton Abbey (BBC)
Homeland (Showtime)
The Newsroom (HBO)

Comecemos pelo melhor drama. Numa categoria onde a falta de Mad Men é gritante (a entrada de The Newsroom não se percebe), dar o prémio a Homeland é algo que não se percebe. É o novo coqueluche dos prémios, já se percebeu. Para mim não é a melhor série em activo, nem de perto, mas, e se nos Emmys, apesar de discordar veementemente, achar que a série teve uma temporada brilhante, nesta segunda temporada, analisada pelos GG, nem de perto nem de longe se chegou a tal. E, dos 5 nomeados, a única série que tem sido brilhante, regularmente brilhante, é Breaking Bad. Entre Mad Men e Breaking Bad o meu coração pende para a segunda, mas tentando ser imparcial, não consigo decidir quais das duas são melhores. Mas sei que, comparando as temporadas que se passaram em 2012, tanto Breaking Bad como Mad Men tiveram bastantes furos acima da transformada em “chorona” e “maricas” Homeland. Porque, a partir de Q&A, não tivemos uma série…tivemos algo que fazia verter lágrimas. Ou tentar…

Continuar a ler

Feliz Ano Novo!

Com o fim de 2012, com o crescimento do blogue, há muita coisa que teria de agradecer. Obrigado a todos vocês que carregam no Enter para entrar neste humilde blogue. O blogue cresceu bastante este ano, e pretende crescer ainda mais neste ano que se iniciou hoje, sempre com a tua ajuda.

O Imagens Projectadas e toda a sua equipa vem assim desejar aos seus visitantes um excelente ano, com um punhado de séries jeitosas (e que haja estreias de jeito), e que tudo o que desejam se concretize.

PS: E que Sherlock regresse rapidamente.

MALTA– os Momentos Altos (e Lows) da TV deste Ano – por António Guerra

Depois de uma semana preenchida com o melhor e pior do ano, chega a vez do comandante das tropas deste estamine falar sobre o que se passou este ano…e porque não me apetece fazer uma introdução longa, vamos ao que interessa:

Melhor Série: Sherlock

Sherlock

Sherlock teve este ano uma temporada de vale. Um pico alto, a chegada ao rio no segundo, e voltar a subir na qualidade no terceiro. Mas, e visto que revi a série ainda há pouco tempo, acho que não há como dizer isto de outra forma: dos três episódios, dois deles são absolutamente brilhantes. O primeiro é um episódio à Steven Moffat, genialmente escrito, e com um final absolutamente brilhante. Foi para mim o melhor episódio do ano, mais que merecido. O terceiro é uma construção fantástica, que permite o espectador duvidar mesmo do herói da história, algo que parecia impossível acontecer. O pior disto tudo? É ter aquele final e saber que a série deverá regressar só em finais deste ano que vem. Para os que já viram, vejam de novo. Para os que ainda não viram, não sei o que falta para ver… Continuar a ler

TCN Blog Awards 2012: O discurso curtiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiinho…

29625A_10151378132020645_1411281258_nEntão bom dia pessoas. Tudo bem? Óptimo, óptimo. Pronto, era só para avisar que o Imagens Projectadas ganhou um TCN Blog Award. Vá, até amanhã…

Não é assim tão rápido. Depois de ir para terras lisboetas, venho para cima com várias histórias. Primeiro, fiquei a saber que o Ricardo Leal aconselha toda as pessoas que quiserem a vir do Porto para Lisboa, ou vice-versa, a entrar na auto-estrada. Depois, que a A1, de noite no quilómetro 251 é bastante engraçada. Duas horas à espera do gasóleo (ou num tempo próximo disso) deu para conhecer o espaço. Recomendo visita. E, depois, ganhámos um TCN Blog Award. Sim, este blogue saiu de Lisboa com um prémio, não em cacos, mas em condições. E este marmanjo fez o discurso mais rápido da cerimónia, de tão inesperado foi a vitória.

Assim, e porque esta é também a minha casa, faço aqui o discurso que ficou por dizer lá. Primeiramente, agradecer a toda a gente que teve a bonita ideia de votar na nossa iniciativa. Vocês são quem fazem o blogue era algo demasiado cliché, mas os visitantes são a paga do trabalho todo da equipa que faz este blogue. E tenho muito a agradecer a esses. Não sei como vos agradecer, mas apesar de ter só subido eu ao palco, o prémio é de todos vocês. Da Ana Santos (conhecida como Siglota Bolota), da Bárbara (conhecida como Babs), do Cristiano, da (Ana) Filipa Silva, da Joana Aleixo, da Joana Pereira, do João Bizarro, do Jorge Pontes, do Jorge Nascimento, do Miguel Bento, do Pedro Rodrigues (conhecido como Peminuro), da Sandra (conhecida como Coord38n27w), da Sara Deodato, da Sara Ribeiro e do Tiago Vitória. São estas 16 pessoas que actualmente fazem o blog, mas não me posso esquecer do João Barreiros, do Ricardo Lima e do Márcio (escreveu aqui como mfed) que andaram nestas lides no início. Só tenho a agradecer a todos que tornaram possível chegar aonde o IP chegou. Só tenho de agradecer a todos terem aceito o convite de me terem a enviar mails todos os meses. E de ainda dizerem que sou razoável pessoa…pronto, mazinha.

Tenho de agradecer a mais duas pessoas, que também me esqueci na cerimónia. Ao Samuel Andrade, que é um cavalheiro, e que deveria ter subido ao palco comigo (a pressa e surpresa foi tanta que me esqueci) e à Telma, ambos por terem ajudado o blog a conseguir este pequeno prémio, mas enorme para estes lados.

E depois fazer agradecimentos pessoais. Agradecer à Teresa Laranjeiro (conhecida por Syrin), ao Pedro Andrade (conhecido por estas lides por ZB) e ao Miguel Ferreira por serem as principais pessoas que me influenciam quando escrevo (sim, sem tentar comparar qualidade). Agradecer de novo à Syrin por não me ter processado no início deste blogue, e por ter “apadrinhado” o projecto. Sem ela, e apesar de ela poder achar que pouco fez, o blogue não estaria aqui.

Agradecer ao Miguel Reis que, apesar de eu poder criticar, sei que não faria melhor (e que desejo boa sorte agora a realizar directas…ou seja, ser pai), e à revista Take pelo excelente trabalho. Pode haver sempre melhorias, mas sei que chegar aonde os TCN chegaram é muito difícil, por isso eles merecem todo e qualquer agradecimento. Agradecer também a toda a academia que votou, ou talvez não, em nós. Continuar a ler

O Diário de Dexter B. Jones Morgan (a história de como esquecer um amor…)

Há concorrente para os Emmys. Chama-se Dexter, é da Showtime, e é a nova possibilidade para os prémios de televisão americana. Problema? Vai concorrer com as novelas da TVI.

Acho que já todos nós percebemos que o prazo de validade de Dexter passou. Uma coisa é quando o prazo de validade de algo é atingido, outra coisa é quando existem produtos nocivos no mesmo que podem afectar gravemente a saúde. Dexter teve, no início desta temporada, a possibilidade de ser um produto que, apesar de fora do prazo da validade, estava comestível. Mas, à medida que chegamos ao fundo do iogurte, começa a aparecer o bolor.

[SPOILERS SOBRE A 7ª TEMPORADA]

Continuar a ler

Hits & Flops #9 – Top Gear, Fringe e Political Animals

Olá a todos, sejam bem-vindos à coluna de opinião (nome engraçado e comprido) do Imagens Projectadas. Todos os domingo eu, Miguel Bento, e o António Guerra , traremos os Hits e os Flops da semana que passou. O melhor e o pior em termos de televisão americana e britânica. Por isso, e sem mais atrasos, vamos embora ao que interessa.

Numa semana bastante afectada pelo furacão Sandy, ficam aqui os estilhaços (bons e maus) que ficarão.

Continuar a ler

Posters TCN Blog Awards 2012 #5

Explicando: sabendo que os TCN Blog Awards se aproximavam, eu comecei a pensar numa forma divertida para chamar à atenção. Assim nasceram estes posters. Não há muito mais a explicar, apenas que espero o vosso voto nas categorias as quais o IP está nomeado, que são:

Podem votar no Cinema Notebook