Hits & Flops #10 – Last Resort, Misfits e Hunted

Olá a todos, sejam bem-vindos à coluna de opinião (nome engraçado e comprido) do Imagens Projectadas. Todos os domingo eu, Miguel Bento, e o António Guerra , traremos os Hits e os Flops da semana que passou. O melhor e o pior em termos de televisão americana e britânica. Por isso, e sem mais atrasos, vamos embora ao que interessa.

Numa semana em que as eleições americanas mandaram algumas séries de férias também entramos na fase do limite critico de algumas séries onde tudo pode acontecer ‘o maldito episódio 6’. Já a seguir:

  • Fringe – 5.06 – Through the Looking Glass and What Walter Found There

Finalmente sentimos que a série está a ir a algum lado, apesar do episódio anterior não nos ter dado mais do que o twist final, agora as coisas começam a ir. Num episódio onde por momentos achamos que íamos ter ao universo paralelo de regresso, o jogo que rapidamente foi esclarecido foi bem conseguido, pena que o uso do personagem preso no ‘pocket universe‘ não tenha sido útil para coisa alguma. Mas o novo e perigoso poder do Peter pode ser o inicio de algo mais interessante. Depois de tantas temporadas à espera finalmente aquele miúdo observer vai servir algum propósito. Esperemos que o passado possa ter ainda mais utilidade até ao final. É o momento da viragem ao sexto episódio.

  • Homeland – 2.06 – A Gettysburg Address

Mais uma volta e a série volta a dar um episódio de encontros e desencontros. Se Brody parecia entrar no jogo da CIA as dúvidas continuam, ninguém muda de equipa de um dia para o outro. Carrie continua a mentir a Brody ou a mentir a si própria. E quando estavam perto de conseguir a pista fundamental sobre o atentado eis que se dá mais um twist violento. Não foi de certa forma surpreendente visto que ficou claro no momento em que pediram reforços. Foi um bom episódio mas os anteriores foram melhores.

  • Walking Dead – 3.04 – Killer Within

Uma coisa temos de admitir o ritmo lento da temporada anterior parece ter posto de lado, pelo menos é notório que os argumentistas sentiram essa critica pelo que se pode ver pelos primeiros 4 episódios. E num momento de loucura livram-se de uma série de personagens. Terão sido três, embora seja quase certo que uma está viva. Nem vou argumentar sobre os típicos erros da série porque isso já faz parte da tradição. Podia perguntar o porquê do Hershel ter sobrevivido ou daquela cena do parto na morta viva se depois não serviram nenhum propósito, mas acho que todos já percebemos que não vale a pena tentar dar um traço de inteligência nesta história quando ninguém se importa. Mas foi um episódio de choque e mais mudanças drásticas e isso numa série deste género é bom. Agora a questão que fica é, sendo esta uma temporada de 16 episódios fazer isto ao quarto episódios é produtivo? Talvez não.

  • Hunted – 1.06 – Polyhedrus

Esta série britânica tem-se revelado uma das melhores produções vindo de terras de sua majestade. Com uma trama muito bem delineada as dúvidas de Sam sobre quem a tentou matar em Tanger parecem começar a fazer algum sentido com as recentes descobertas. Estamos quase no final e já percebemos que Sam é um elemento muito relevante  e perigoso para a HourGlass e portanto aniquilar é a ordem. Com a ajuda de Aidan e aparentemente cada um com a sua agenda as peças começam a fazer sentido, mas a aproximação a Stephen parece começar a criar um problema a Sam. O segredo reside no misterioso rapto de Sam quando criança. Um episódio onde o atentado à candidata paquistanesa nos deu uma espécie de Homeland inglês e uma armadilha que parece se virar contra Ian. O final pode ditar o fim do disfarce de Sam.

  •  Downton Abbey – 3.08 – Episode 8

Lamentavelmente o que vinha a acontecer nos episódios anteriores estava-me a deixar expectante quando ao final, mas mais uma vez a falta de coerência ou a tentativa de agradar a alguns grupos possa ter influenciado muito mal este final. De facto Robert é uma pessoa extremamente casmurra no que respeita a negócios e ao progresso, mas quando se vê que um criado é uma mais valia no cricket não importa mais o facto de ser gay ou que isso seja um escândalo na sua casa como foi com a presença de Ethel. E assim como Bates que de um momento para o outro resolve tratar de salvar Thomas, e pasmem-se que isto dá origem a perdão e a novo cargo. E a presença de Violet serviu que propósito neste episódio, alguém que nunca tínhamos visto antes? Tudo isto foi muito estranho. Um final sem grande interesse e que mais uma vez não muda nada.

  • Last Resort – 1.06 – Another Fine Navy Day

Síndrome de episódio 6: Momento em que numa série nova se tenta fazer algo fora do comum que  faça subir a audiência e provar que a série tem mérito próprio.  E eis que a série tropeça no próprio pé. Acho que todos já perceberam que Last Resort não vai durar muito tempo, mas este episódio conseguiu provar que a série é mais vazia do que se imaginava. Um suposto ataque químico combinado com Serrat faz com que os habitantes da ilha e os militares comecem a ter visões e a adormecer. Isto foi uma enorme confusão, com flashes para trás e para a frente na tentativa de contar uma história sem interesse nenhum e depois a insistência nas visões Sam com a mulher conseguiram transformar isto num pesadelo. No submarino nem se percebeu ao certo o que aconteceu, se foi a água da ilha como é que afectou o submarino? Até porque tirando alguém andar lá infiltrado nada mais há a acrescentar. E depois o twist final conseguiu bater o ridículo. Acho que isto é capaz de ter enterrado a série.

  • How i Met Your Mother – 8.05 – The Autumn of Break-Ups

Eu ainda me pergunto porque continuo a ver isto, mais uma vez os guionistas voltaram a pegar num tema que todos sabemos não vai dar em nada e porque insistem? Porque não têm mais nada para contar! Mais uma vez se focaram nos sentimentos de Robin e Ted como se nós não soubéssemos que ela vai casar com o Barney e que ela não é a mãe. E assim nos livramos da Victoria por razões parvas, também já vai tarde. No próximo episódio deve ser o Nick. E nem vou comentar as cenas do Barney com o cão wingman porque isto foi tão mau, mas tão mau, que não merece ser visto por ninguém. E aquilo do Marshall foi para quê? Com uma criança em casa os autores só se preocupam que estas personagens passem o tempo a fazer caretas e gestos ridículos. Acabem com isto por favor!

  • Misfits – 4.02 – Episode 2

Já gostei mais desta série, sempre foi um tanto nonsense e era isso que lhe dava algum valor relativamente à sua confusa congénere americana Heroes. Mas eis que esta quarta temporada como se previa já não tem o mesmo interesse. Perdidos que foram 4 dos elementos iniciais, estas novas personagens parecem pouco interessantes, seja pelos seus poderes seja pela histórias que vimos até ao momento. Neste episódio tentaram contar a história de Finn que tinha a namorada amarrada num quarto porque ela ao falar o faz obedecer a tudo. Claro que era óbvio que Seth ia ceder a ‘limpar’ a miúda, não foi nada interessante. Até agora não há uma história concreta e aparecem personagens esporádicos que devem depois ter o seu papel. Talvez a nova adição venha ajudar em algo, mas nada de novo.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s