Monday’s Morning Mirror #10 – NBC (Nenhuma besta é culpada)

Ora boa noite a todo o vasto auditó…esperem. Não, são meninos giros, meninas bonitas, que visitam este blog. Não precisam de ser comparados a um auditório, onde existem pessoas com verrugas no pescoço, ali na junção da nuca e das costas. Então, tudo bem pelos recantos de vossas casinhas? Ainda bem. Vamos ao que interessa? Vamos. (…)

Pronto, tratado o sexo, vamos escrever.

Desta vez vamos falar do tema que mais gente adora e toda a gente já fez: bater nos mortos. Género um TWD mas com um drama mais rápido do que procurar uma rapariga enfiada num celeiro, género: “Aonde está o Pedro? (sendo o Pedro um bebé com um lenço sobre a cabeça)…Está ali!!!”. Não, será bater num morto que, apesar de tudo, continua muito vivo. Mas a NBC é cada vez um canal a falecer, género um paciente de House que está prestes a morrer por danos do fígado, que causa olhos amarelos. E aqui será este marmanjo será o Chase: o gajo mais sexy e com um sotaque australiano da série.

A NBC sempre foi um canal minimamente engraçado. Teve Friends. Teve a primeira temporada de Heroes. Tem Community. Teve a segunda temporada de Chuck. Teve ER. Teve Get Smart. E teve a primeira temporada de FNL. O canal teve talvez o maior sucesso com Friends, e a partir daí foi mais ou menos género uma torre da babilónia a cair, a cair, a cair…

O estado da NBC actual é género um barco que onde tiraram aquela rolha que não deixava entrar água. Depois da festa que foi Friends, aquilo começou a encher. O Matt LeBlanc levou consigo a rolha, a pensar que era de vinho. Por alguma razão agora anda a fazer uma série sobre si próprio…coisa dessa loucura só em Glee. Mas, voltando à crónica, desde a saída de Friends (corria o ano de 2004), a NBC foi tirando alguns coelhos da cartola, mas poucos. Heroes foi um desses, mas perdeu-se. The Office aguenta-se, e talvez seja a única grande série, a par de uma cada vez mais moribunda 30 Rock, que a NBC ainda tem.

Claro que o mal da NBC não é ter más séries. A questão é que não tem séries que cativem a audiência. O exemplo de Chuck é claro. A série foi ressuscitando, que nem um zombie, ano após ano porque…era o mal menor. Sim, a NBC vive de mal menores. E cada vez mais viverá. A emissora não consegue criar produtos cativantes. Não é por não tentar. É ver o cemitério de séries que nos últimos tempos se tornou o canal. The Playboy Club e The Firm são os últimos casos, sendo a última uma série minimamente razoável para o brilhante (olha a ironia!!!) panorama televisivo (televisão aberta). A questão é saber o que são períodos cativantes para o público americano. Up All Night é a segunda série no Renew/Cancel Index do TV by the Numbers, e fica em quarto em termos de rating no seu horário (quinto e último é…CW, como é óbvio).

Podem dizer que são cálculos, e que estes são enganadores. A NBC tem Parks & Recreation, que é uma série (daquilo que leio) com uma comédia fantástica, tem Community, tem Parenthood. A questão é que são de novo uns maus menores. Se alguma delas estivesse na CBS (e nenhuma delas encaixa na CBS, mas pronto…) morreria. Talvez tivessem maior rating. Com certeza. Mas seriam um peso morto. Primeiro, porque o público americano pede comédias que tenham uma risada simples, sem ser necessário um humor demasiado inteligente. E, depois, porque a vida de os americanos é procedurals. É género fazer sexo sempre na mesma posição. Não perde a eficácia, mas é cansativo. Ou talvez não…talvez seja só eu que goste de experimentar novas posições (aka, ver séries sem ser procedurals…não se confundirem nesta alegoria giro. Ou comparação, já que tem o termo comparativo).

E esse é o problema essencial da NBC: não tem séries que cative a audiência americana. Primeiro ponto. Depois leva a que o público se afaste. Leva a NBC a apostar de novo, arrojada (falhando de novo). E a bola de neve se cria. O único alicerce, em termos de séries, é The Office. O resto, mais série menos série, é cascos de um navio a flutuar.

Como sair daqui? Pedir que o público americano seja inteligente, e apostar em grande. Talvez seja um sonho de rapaz, ter um canal que revitalizasse séries de…2004. Mas, com o final de House, The Office é a única série que ainda se aguenta desse tempo de ouro. Talvez a NBC olhe para a prata da casa. Mas, para tal, é necessário saber escolher, bem escolhido (problema principal de parte dos canais americanos da TV Aberta), publicitar melhor, e ter uma onda que ajude a série. Não é a receita para o sucesso…é a primeira parte, de algo que será um processo duro. Até lá, é ver um barco a falecer, sem comandante mas com parte dos passageiros a bordo. E nós a assistir de um rochedo qualquer…

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s