The Moodys Effect III – Especial Pilotos parte 2

Como é habitual nesta época muitas das estreias estendem-se pelo mês de Outubro e como tal vamos continuar a dar um breve olhar para o que os canais americanos nos trouxeram. Passado pouco mais de mês e meio já foi visível uma pequena limpeza das séries mais fracas e com isso ninguém se chateia muito dado que não provaram serem muito capazes. Destaque para o cancelamento de Charlies Angel’s (a minha aposta segura), Free Agents, The Playboy Club e How to be a Gentelmen (cancelada na teoria, mas que continua no ar). Por agora a maré acalmou e tivemos um mês recheado de algumas novidades que vamos dar uma rápida análise de seguida:

Pan Am ( ABC)

A nova aposta da ABC para o final de noite de domingo apresentou uma interessante proposta que saiu ligeiramente fora da típica série familiar. Aqui seguimos o rumo de um grupo de hospedeiras nos anos 60 e as suas aventuras. A ideia ao inicio não parecia ter muito por onde puxar, mas apresentou-se competente e com uma trama sólida e agradável. Mas rodados  5 episódios a série parece ter ficado presa a algumas ideias e as audiências não tardaram a ceder. Se o inicio me agradou com o factor global das viagens o desenvolvimento nem tanto, mas é preciso alguma paciência e esperar que amadureça as suas ideias. Por agora é somente um pequeno doce, mas não pode ser sempre o mesmo correndo o risco de enjoar.

Aprovada.

Terra Nova (FOX)

Antecipada há mais de um ano a série com o selo de Spielberg era a grande aposta da temporada, uma produção de custos elevados, uma abordagem para outro nível… e descobrimos que não passa de uma simples série de drama familiar. Não se pode dizer que o início não foi curioso com a abordagem de um futuro apocaliptico, mas logo surgiram dúvidas e demasiados clichés numa série que se propunha ser uma aventura no tempo dos dinossauros. Dinossauros esses que são somente um apêndice (e mal feitos) de uma série que se limita a explorar histórias básicas de uma qualquer serie. Se duvidas havia que a série não passou de um engodo, 5 episódios mostraram o essencial e portanto é ficar por aí e esperar que haja alguma mudança para depois voltar.

Reprovada.

Suburgatory (ABC)

Mudar do centro da cidade para os característicos e ricos subúrbios de Nova York pode ser traumatizante, sobretudo quando se encontra toda uma espécie de criaturas modeladas ao sabor do dinheiro. Funcionou. A série da ABC entra num grupo de séries familiares que venceram e completa de forma eficaz o quadro. É certo que ainda está a ganhar terreno e por vezes exagera e não tem tanta piada, mas é das poucas novas comédia deste ano que funcionaram. Só continuo a não achar piada ao Jeremy Sisto.

Aprovada.

How to be a Gentleman (CBS)

Nem há muito a dizer deste desastre, dado que a série já foi praticamente cancelada. Uma trama sem pés nem cabeça, personagens de tão ridículas não tinham piada… e aquela voz de galinha do protagonista foi a facada final nos meus ouvidos.

Reprovada.

Homeland (Showtime)

A Showtime sabe o que faz e começa claramente a superiorizar-se à sua grande rival HBO. Talvez a melhor série nova da temporada, com um elenco exímio, uma trama sólida e viciante.  A exploração das obsessões e o medo do terrorismo personificados em dois grandes actores principais Claire Danes e Damian Lewis, que estão bem posicionados para começar a ganhar prémios. Das mentes criativas de 24, uma série que ninguém pode perder.

Aprovadíssima.     

American Horror Story (FX)

Esta é uma série que eu próprio nem sei como classificar, vinda da provavelmente mente perturbada de Ryan Murphy . A série de terror psicológico do FX apresenta um estranho caso de uma família que se muda para uma antiga casa para recomeçar a sua vida, mas a casa parece ser habitada e ‘visitada’ pelas mais estranhas personagens. No fundo não se percebe muito bem o fundamento da série e o seu objectivo, com promessas de terror mal cumpridas a série vai mais pela lado psicológico do que pelo medo. Curiosamente é o elenco secundário que brilha na série ao contrário dos protagonistas que não assentaram tão bem. Ganha pontos pela sua condição frenética dos acontecimentos, mas continuo sem saber onde isto vai parar.

Aprovada.

Enlightened (HBO)

Há comédias que nem sabemos porque têm essa designação, por terem somente os 30 minutos (ou 20) habituais de uma sitcom? Neste caso não há piada nenhuma em abordar um colapso nervoso e sair a brilhar meses depois a tentar recuperar a vida e perceber que todos à sua volta têm problemas por resolver. A série parece-me mais um experimentalismo da HBO, tenta ser positiva mas sai um bocado ao lado em termos de cativar o espectador. Juntem Bored to Death ao pacote de domingo e têm a cura para as insónias.

Reprovada.

Last Man Standing (ABC)

Tim Allen devia estar desejoso de voltar a fazer comédia de anos 80, mas o tempos mudaram e se for somente para cativar público idoso talvez resulte, mas reciclar uma série de clichés familiares sem lógica nenhuma com açúcar em pó simplesmente não resulta. Todas aquelas piadas empalhadas e forçadas no meio de uma suposta família disfuncional mas que funciona é difícil de aguentar.

Reprovada.

Man up! (ABC)

Esta constante ideia de pegar em homens de meia idade e lhes dar mente de miúdos de 15 anos é das coisas que mais me irrita de ver em tv, é quase tão mau como miúdos de 5 anos com mentalidade de 40… e se algumas piadas podem resultar o que esta série nos dá é muito pouco. Talvez o exagero do piloto possa ser diluído com o passar do tempo, mas quem torto nasce…

Reprovada.

Boss (Starz)

A Starz regressa com mais uma aposta de peso, desta vez recupera o actor Kelsey Grammer, que nos habituamos a ver mais em comédias. A série foca-se num Mayor de Chicago que gere a cidade com punho de ferro e toda uma rede de interesses estratégicos, mas que descobre uma doença incurável. A série para quem gosta de tramas políticas é excelente e dado ser num canal pago a abordagem é bem pesada e sem grandes medos, aparentemente não há aqui personagens completamente íntegros sendo por isso mais realista. Confesso que o estilo Starz ainda me faz alguma confusão, as séries são claramente estranhas e tendo como produtor Gus Van Sant é de esperar algum extremismo em algumas cenas, sobretudo sexuais… mas no fim ficamos com a sensação que foram 50 minutos bem aproveitados com interpretações muito bem conseguidas.

Aprovada.

Once Upon a Time (ABC)

Uma das últimas series que faltavam estrear na fall season da ABC provou que o canal sabe onde se movimenta. A série pega na premissa simples dos contos de fadas e transporta as personagens para o nosso mundo. Não era série que eu desse algum crédito, até porque a nível de produção ficou um bocadinho aquém, mas como até agora só vimos o piloto é aceitável. A história cativa e somos rapidamente arrastados para aquela estranha vila onde os personagens de um mundo ‘irreal’ ficaram presos devido a um feitiço da bruxa má. A questão aqui é perceber onde é que a série pode ir e como explicar a existência de dois mundos tão diferentes… é esperar para ver.

Aprovada.

Grimm (NBC)

E se Once Upon a Time não desiludiu, já Grimm é outra conversa. Uma história sem pés nem cabeça, uma produção que faz rir Supernatural e um elenco de meter medo. Nada no episódio piloto parece ter qualquer lógica, desde as tentativas ridículas de ‘assustar’ o espectador, a velha careca que sabia tudo, a busca pela bota perdida, o lobisomem que era bonzinho,  o mp3 que tocava insistentemente durante horas e horas ‘sweet dreams are made of this’ até à forma estapafúrdia como resolveram o caso… concluindo com o mais hilariante dos cliffhangers que podia existir. Se Charlies Angel’s era até agora o pior piloto da temporada, este não lhe fica atrás. A única diferença é que parece que o público das sextas aderiu a isto o que não lhe vai garantir um cancelamento tão rápido como era desejável.

Reprovadíssima.

Allen Gregory (FOX)

O tempo em que a fox conseguia fazer séries de animação de grande nível passou… Os Simpsons persistem, mas tudo o resto deixa muito a desejar. Este é mais um caso de uma série de animação com tons muito adultos e que sinceramente se tinha alguma intenção de ser comédia não o consegue. Além da animação muito básica a premissa de um miúdo sobredotado que tem de ir para uma escola comum e toda a componente sexual associada a alguns personagens gays é absurda. Mais uma série de animação descartável.

Reprovada.

Frozen Planet (BBC)

E agora algo diferente, já que fui levado a assistir a um novo documentário da BBC pelo chefe aqui do site, não podia deixar de o referir. Mais uma produção magnifica da BBC com a chancela de David Attenborough que o conduz. A série sobre as áreas geladas do nosso planeta é uma viagem por um mundo que poucos conhecem, com uma produção soberba que deve ser visto em HD para melhor apreciar o impacto visual e selvagem do que ainda o homem não alterou. A série iniciou há poucos dias e são 8 episódios sobre as maravilhas que a natureza e gelo criaram.

Aprovada.

E concluímos por aqui a viagem às novas séries da fall season, ainda falta estrear Hell on Wheels mas a série da AMC certamente não será um caso que irá desiludir. Muitas séries ficaram guardadas para a mid season e algumas delas aguardo com alguma expectativa, mas sem datas não é possivel prever o que irá acontecer. Destaque para Awake (nbc), Alcatraz (fox), The River (abc) e Smash (nbc).

No próximo mês voltamos para algo completamente diferente… Até lá.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s