A semana em pilotos – 13/09 a 24/09

Os pilotos são, antes de mais nada, uma arte de adivinhação. É nestes que os fãs de séries tentam ser a Maya destas, levando o seu lado crítico (e os gostos) ao extremo, para chegar a uma conclusão. No fundo, era como pegar num pássaro de uma dada espécie, ver se tinha gripe das aves, e se tal tivesse, generalizava-se para os restantes pássaros de tal espécie (a gripe das aves era só nas galinhas, não era?).

Querem um exemplo? The Vampire Diaries. A série da CW estreou há 2 anos com alguma poupa e circunstancia, e eu vi o piloto. Não gosto, critica-se. Foi isso que aconteceu. E, até agora, ninguém, nem todas as notas a episódios, provenientes de pessoas que me influenciam na outra tão difícil arte de “continuar ou não continuar a ver”, mudam tal opinião. Isso e porque eu tenho uma espécie de contra-fetiche (se tal palavra existir) das séries da CW/ABC Family…pode ser também disso. Mas TVD teve um piloto que foi…deixem ver se arranjo uma boa palavra…péssimo e agora está a deixar pessoas loucas. Sem o sexo de True Blood. Assim se vê o quão é difícil tentar ser a Maya das séries. Mas todos os anos cá estamos para tal.

Para que serve esta introdução toda? Para dizer que vou tentar fazer tal…aprovações e recusas, já a seguir ao salto. Um, dois, três…GERONIMO!!!!!

Homeland – Showtime – Pre-air

Destes pilotos todos é a única que pretendia acompanhar. A nova série da Showtime não tem um brilhantismo dominante, não é uma série que eu vá adorar até nunca mais. Porquê? Porque se vai fixar principalmente numa narrativa de suspense, e não nas personagens. Não quer dizer que isso seja mau. Pelo contrário. Só digo que não são estas As Minhas Séries. Mesmo assim, Homeland consegue cativar bem o espectador, dá-se ao trabalho de ter algum sentido na história (algo que parece difícil existir nos dias de hoje) e prende. Deixa-nos à espera do que acontecerá a seguir. E, depois, parece-me que não teremos um típico vilão e a salvadora do mundo…veremos. Por agora…

Aprovada

Ringer – CW – 13/09

Eu já disse que tinha um contra-fetiche contra as séries da CW, certo? Ringer nem devia ter passado pela minha cabeça mas passou. E veio comprovar a minha teoria que CW eu não gosto. Ponto. Nem que seja porque tem pilotos intragáveis. Ringer é o caso. Foi uma aventura que acabou mal. É género levares uma rapariga para casa e depois veres que ela é um travesti muito bem disfarçado. Mesmo assim tem pila. Erros atrás de erros, a série não consegue cativar nem por um momento. Se verei pior que isto nos restantes pilotos? Não me parece…não vou pegar noutra série da CW, por isso. Mas, sigam o conselho, não vejam Ringer. Nem a Buffy se safa. Melhor, a série parece que foi sodomizada por vampiros. Ou parece um produto do Joss Whedon (mais recente…pronto, de Dollhouse para a frente, se assim querem).

Existe abaixo da reprovação? Se existe, dava…como não segue um REPROVADA

Free Agents – NBC – 14/09

Comédia da NBC costuma ser algo não muito saudável de ver. Free Agents foi vista porque estava nesta semana, e nesta semana tudo o que é rede é peixe. Da bota até à sapateira. E a série nem é mazinha. Consegue puxar umas gargalhadas. Mas não é nada de especial. É aquilo que se chega ao final dos 20 minutos e diz-se para o companheiro (imaginável) do lado: Viu-se. E apenas isto. Para além de tudo, Free Agents não tem imaginação. É um par divorciado/viúvo, que não se querem apaixonar mas fazem-no e isso (parece que) na sociedade moderna tem piada. Não é muito mau…é razoável. Não chega.

Reprovada

Up All Night – NBC – 14/09

Arnett. Will Arnett. O homem que tem azar em quase tudo o que toca. Up All Night não é azar. Sinceramente, deu para dar umas gargalhadas. Mas cai no cliché do marido/mulher com um problema (quase sempre filhos). Numa dinâmica de casal que não tem grande piada…Raising Hope consegue, pegando neste cliché (filhos), dar uma abordagem muito mais original. Up All Night é mais do mesmo. Tem piada? Tem. Mas é aquele sabor agridoce: isto é razoável, mas é uma pizza razoável depois de 2 anos a comer da mesma pizza…cansa.

Reprovada

The Playboy Club – NBC – 19/09

A série, como se viu na apresentação que lhe fiz, não é brilhante. Consegue cativar, mas tem erros, como por exemplo o homicídio. A representação dos anos 60 está razoável, mas não é claramente uma série de época. Mas estou a repetir-me…se querem saber o que achei vão ao post em baixo.

Passou

2 Broke Girls – CBS – 19/09

Se me perguntarem se a série divertiu, a resposta é sim. Mas não chega. 2 Broke Girls sacou uns sorrisos, mas nada mais. Não uma gargalhada, como Community fez logo na primeira cena da temporada. Não é uma comédia má, mas não é brilhante. No fundo, uma comédia simples, que conseguirá ter boas audiências (eu a dizer pleonasmos…ela está na CBS António. Claro que tem boas audiências) mas pouco mais. Mas claramente não é das coisas incomestíveis que vi esta semana…

Reprovada

New Girl – Fox – 20/09

Tem a Zooey (que tem demasiadas vogais num nome…acho eu). E eu, sinceramente, não a tinha na lista para ver. Os promos pareciam-me um concentrado do que melhor a série conseguia, e nada mais. Mas New Girl conseguiu surpreender-me. Tem um piloto simples, leve, e que se chega ao final e pensa: afinal o tempo não foi tão mal passado. Claro que não é perfeito. Nem coisa próxima disso. Também, do que me lembro, a única comédia dos últimos anos que me conseguiu cativar ao primeiro episódio foi Modern Family. New Girl consegue deixar com a pulga atrás da orelha. Mas como disse o meu caro Miguel Bento, as comédias são ainda mais difíceis de adivinhar. Ver para querer, neste caso.

Aprovada

Revenge – ABC – 21/09

Revenge…primeiro, não acreditem no Wikipédia. Não é reven8e. É mais reven(infinito em pé)e. E comecemos por aí. A série consegue a ironia ao colocar um infinito no título. A Emily é jeitosa? É. Mas eu estou a ver séries. E uma série que tem uma estrutura tipo Os Lusíadas não é coisa que me interessa. Temos uma prolepse, e depois no decorrer da história temos Vasco da Gama a contar ao rei de Melinde (é assim que se escreve) a história de Portugal. Desculpem…temos a personagem da Emily em analepses a explicar o que se tinha passado. É isto essencialmente. O pior? É que grande parte é mau feito. Não consigo ver na história um fio condutor fidedigno, não consigo ver algo que me cative. Vejo clichés e uma história que, no final da temporada, vai andar a engonhar para tentar concluir a história. Isso e saber que deve ser cancelada. Se Revenge pensou que por colocar o infinito no meio seria um meio de estender o tempo de vida, não me parece que tenha sorte.

Reprovada

Charlie’s Angels – ABC – 22/09

Então. Ringer foi mau. Pronto, muito mau. Charlie’s Angels conseguiu ser pior. É que a única coisa que se aproveita são é a Minka Kelly. Ela. Não a personagem. Porque, de personagens, aquilo é péssimo. De narrativa ainda pior. Alguém me diga como é que a câmara de um satélite (visto num iPad ou coisa parecida) consegue ter a resolução fantástica para se colocar dentro do quarto, alguém me diz que brilhantes e inteligentes maléficos maus colocam os seus planos/localizações no Twitter, alguém me explica porque o Charlie parece…um gravador ambulante. Charlie’s Angels conseguiu que eu me risse…mas do tão mau que foi.

Não merece reprovação…é bem pior que isso

Whitney – NBC – 22/09

Pronto. Whitney caiu aqui não sei vindo de onde, mas já que aqui está comenta-se. Como comentar Whitney? Então…é um casal que tem problemas. No fundo Up All Night, que em vez de um filho+amigo louca tem 2 amigas parvas. É isso, resumindo-se em curtas palavras. E que se consegue extrair daqui? Um piloto que não consegui esboçar uma gargalhada, roubando-me apenas meros sorrisos. Whitney quer ter piada. Tinha mais se levasse a pseudo-história da enfermeira para lugares menos familiares (literalmente). Mas estamos na TV Aberta, por isso nem tal se aproveitou. Segue uma

Reprovada

Person of Interest – CBS – 22/09

A série não é boa. Mas também não é má. Consegue ter uma narrativa interessante, apesar de não ser brilhante. A máquina é surreal, mas não é louca. E as personagens não são más. Apesar disso tudo, Person of Interest não entrará nas contas para esta Fall. Tenho demasiadas séries, e uma que vai focar-se em casos surgidos de uma máquina não é coisa que eu queira ver. Passou, mas não é brilhante. E fica por aqui.

Passou

Prime Suspect – NBC – 22/09

Parecido a Person of Interest. Tem os seus interesses, apesar de não ser igual a Southland ou The Chicago Code, que tinha uma história muito mais interessante. Vai-se prender a casos e a uma personagem interessante, que tenta conquistar o seu espaço num mundo de homens. E que, seguramente, algum deles é corrupto. Mas isso fica mais para a frente. Por agora tem um piloto interessante, mas também fica por aqui.

Passou

A Gifted Man – CBS – 23/09

Um homem que vê mortos. Chega, não chega, para cancelar? Eu ri-me de tanta parvoíce que por ali vi…

PS: Qualquer série que goste e tenha alguém a ver mortos será criticada. Fora Dexter. Essa é fixe.

Reprovada

Anúncios

One thought on “A semana em pilotos – 13/09 a 24/09

  1. Muito bom isto ahaha

    No caso de Persons of Interest fui só eu que vi o Ben Linus o tempo todo na série como que a recrutar novos ‘habitantes’ para a ilha?
    Este ano a pilot season está um horror, há algumas coisas minimamente aceitáveis, mas não me estou a ver seguir nenhuma. Unforgettable não foi referida e tem um bom piloto e bastante emotivo, mas é um procedural e isso tira-lhe interesse da minha parte.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s