Coisas giras que se esperam da Fall que ainda vem aí – Jorge Pontes

Uff! Deixem-me recuperar o fôlego.

Pronto. Já estou alive and kickin’ e preparado para partilhar convosco umas considerações sobre a Fall Season que está mesmo quase a chegar, se vocês não considerarem as estreias da CW como o início da época. Pois bem, com as chaves de um Mercedes AMG (imaginário) na mão, vamos lançar os dados para mais uma corrida ao primeiro lugar de série que mais me impressionou.

Get ready.

Set.

Gooooooooooooooo!

Estreias!

O Melhor

Da minha longa lista, American Horror Story e New Girl são aquelas que se destacam nas categorias de drama e comédia.

AHS impressiona, sem dúvida, por causa da sua aura mística. A casa é, sem dúvida, o berço do mistério da história, ainda para mais, quando uma família inteira para lá vai viver. Será interessante ver a interacção dos elementos da família face aos acontecimentos estranhos que irão decorrer à medida que a sua “nova” vida vai sendo cimentada.

New Girl destaca-se nas comédias não só pela bela Zooey Deschannel mas também pelo potencial bastante presente no piloto. Com situações hilariantes guardadas para os restantes episódios que compõem a primeira temporada, New Girl promete surpreender(-me) com, talvez, uma nova forma de fazer comédia. Estarei a aumentar demasiado as expectativas? Se calhar. Mas, até prova em contrário, New Girl cativou-me.

O Pior

Revenge. Muitos que me acompanham via Twitter poderão ficar surpresos com esta “nomeação”. O que é certo é que por mais que tenha gostado do piloto de Revenge e por mais mistério que as personagens aparentam ter, não vejo a série aguentar-se com este tipo de história durante muitos episódios. Aparenta ser complexa, aparenta ter muito sumo por detrás do passado da personagem principal mas aparências iludem. A ver vamos.

A dúvida…

Unforgettable. A série tem uma premissa interessante e promete revolucionar a maneira como os CSI se desenrolam. No entanto, e embora espreite o piloto, parece-me que a linha narrativa se baseará muito na especulação (tipo CSI: Miami) onde ela aparenta saber tudo e vai revelando as pequenas peças ao longo da resolução do caso. E manter-se-á assim durante os possíveis 22 episódios. Poderá ser um sucesso mas duvido que inove.

Regressos!

O Melhor

Fringe e Being Erica.

A primeira é, claramente, um must-see da Fall vindoura. São muitas as questões que estão no ar e que quero ver respondidas e eu, simplesmente, não consigo ficar indiferente a este lado da ciência. Fringe será sempre os X-Files da minha geração e só tenho a agradecer toda a wierdness e toda a awesomeness que já mostraram ao longo de três temporadas.

Being Erica porque, seja ela a quarta, a última temporada, a história deixou-me completamente agarrado na temporada passada. Erica está a avançar para uma nova fase e eu estou bastante expectante para ver as novas situações em que ela se meterá. E claro, por ser a série mais real e mais humana, que alguma vez vi, ela merece toda a minha consideração.

O Pior

Matem-me já antes de continuarem a ler. Sim, porque estou pronto a dizer que Dexter se encaixa nesta categoria. Depois de uma temporada que me deixou algo desiludido e depois daquele final feliz, coisa que em Dexter, NUNCA pode existir, estou com muito medo daquilo que estão a preparar para a nova temporada que se vai focar na religião. Por mais desafiante que seja o tema, tenho a mínima impressão de que a série se vai perder no tema e vai descaracterixar a personagem mais interessante da televisão alguma vez criada.

A dúvida

Para as dúvidas desta temporada, selecciono The Big Bang Theory e How I Met Your Mother.

A primeira é para ficar, sem dúvida, com o pé atrás. Depois de um quarto ano muito inconstante que não primou pela excelência que as primeiras nos habituaram, TBBT está presa às mesmas personagens, às mesmas histórias e a não recorrer a uma evolução destes dois factores. Não gosto que uma série com tanto potencial se deixe perder tão facilmente nestes mares.

A segunda, e embora seja uma das melhores comédias da televisão, está muito preso ao “quero ser um hit como Friends foi na NBC na década de 90”. HIMYM é isto. É óbvio que tem uma história própria, interessante e que nos proporciona momentos de purasgargalhadas (conto pelos dedods os momentos em que não ri com a série) mas, em seis temporadas, o que sabemos nós da Mãe? Não poderiam desvendar quem ela é e depois fazer uma temporada de mais aventuras? Sem dúvida que existe uma enorme gama de histórias com Ted e a Mãe para serem contadas. Vamos esperar para ver.

E assim chegámos à meta. Estamos a menos de 48 horas para o começo da Fall Season e estou dying para ver as novas temporadas e as novas histórias que serão partilhadas connosco. E vocês?

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s