Luther – Um vislumbre rápido


[Sem Spoilers] Luther entrou na minha vida, como já escrevi, por alma e graça do Miguel Bento, adicionado ao AXN que passou a série há pouco tempo. A série parecia não ser nada de especial, mas com tão alta recomendação e como era britânica, decidi dar uma oportunidade.

Dificuldade inicial: não adormecer com o piloto. É apelativo, sim. Mas para um rapaz que chega a casa morto de cansaço e se mete deitado no sofá a ver um detective a tentar apanhar uma psicótica pessoa, fria como o gelo, não é algo que seja recomendável para quem o sono chama. Assim, o episódio foi acumulando pó, parado nos 10, 15, 20 minutos, regressando ao princípio e avançando mais um bocado. Até que…

Até que decidi pegar naquilo a sério. Sentei-me uma tarde, corri o episódio. E o que saiu foi uma personagem fantasticamente construída, um também louco que tenta controlar a mesma apanhando outros loucos. Luther brinca com o conceito de polícia, levando a uma bad cop sem um bonzinho ao lado. A cena é toda dele, desde a primeira cena até ao final da temporada. Tudo envolvido numa aura de mistério, sempre com uma parte “lúdica” de ‘Advinha agora como é que o assassino será apanhado?’, que sempre cativa.

Mas tudo isto é apenas o pano que cobre a verdadeira essência da série. Luther é polícia porque dá jeito para a série, permitindo assim um contacto mais verídico entre mentes tão próximas. Mas, no fundo, o importante da série é a vida de Luther e quem a rodeia. Assim sendo, suportando-se em personagens, uma série como Luther podia descambar. Mas não. A série, assente na personagem principal, consegue suportar.

The Mentalist é talvez a série que mais se aproxime de Luther. Mas as distâncias ficam salvaguardadas porque o Red John não é um corpo desconhecido mas sim uma cara ao descoberto, e que não é rival mas…mas ficamos por aqui. Porque se querem saber, terão de ver a série. O que vos digo é que, se The Mentalist perde muito pelos casos que trás, Luther consegue suportar e aproveitar os mesmos para a construção das personagens. Assim, a série deixa de ser um policial simples para se aproximar de um Dexter, mas com personagens secundárias mais interessantes.

E, se até agora não estão convencidos, tem cliffhanger no final. E só são 6 episódios. E muito mais, mas como prometi não lançar spoilers, fico-me por aqui. Luther começa hoje, à noite, na BBC. Que vocês estão à espera para passar esta tarde que estão a preparar-se para os exames e ir ver a série? É mais produtivo, mais lúdico e não dá tantas chatices, acreditem. Enquanto isso, vou ver o sistema urinário (na verdade vou ver o respiratório…mas penso que o urinário dará mais visitas através do Google. Já estou a ver o próximo termo: “Luther pila”. E vem pirar ao IP).

Anúncios

One thought on “Luther – Um vislumbre rápido

  1. Gosto muito, estou em pulgas para ver como isto continua. E não foi referido mas a Alice Morgan (Ruth Wilson) é uma personagem soberba e que brilha tanto como Luther… será coincidência o apelido de Morgan… tem definitivamente parentesco. hehe

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s