(Quase) tudo aquilo que precisas de saber desta temporada – Ricardo Lima

É tradição, quando chega o fim da Fall Season, fazer retrospectivas acerca daquele que foi mais um ano para os adictos em séries. Isto é algo que cada um faz para si, e que com certeza diverge de pessoa para pessoa. Ainda assim, partilharei convosco o que mais me agradou e, pelo contrário, o que me deixou desiludido. Sem spoilers. (E a medalha de ouro vai para…)

Ouro

A surpresa da CW continuou o excelente percurso iniciado lá para meados da primeira temporada. Constantes finais de deixar os espectadores a desejar que cada episódio dure mais um pouco e não ter que esperar mais uma semana para descobrir mais um aspecto que os deixará novamente boquiabertos. Uma sequência de episódios muito rica, com uma história inovadora e o segredo: ocupando todos os minutos sem banalidades. Uma temporada de ouro, uma emissora de lixo que prejudica o êxito da série.

Prata

A série que começou com um dos arcos mais fortes do que tenho visto actualmente, fez jus ao que lhe estava expectado. Um ano sólido, com as perdoáveis falhas num ou noutro episódio. O final duvidoso não tira o mérito à restante temporada. Excelente(s) interpretação(ões) de Anna Torv e a melhor narrativa da actualidade.

Bronze

  Uma série com algumas temporadas em cima necessitava de um novo fôlego. E foi o que teve merecidamente. Desperate conseguiu voltar a episódios a fazerem relembrar temporadas antigas, não repetindo, por exemplo, a fraca temporada antecessora. No entanto, tal não aconteceu do início ao fim; a partir do episódio 19, nota-se um decréscimo acentuado da prestação da série, contrariamente ao que se desejava. Principalmente o final não correspondeu a restante temporada, com bastantes falhas imperdoáveis numa série veterana.

Chapa

O final da sexta temporada (sim, tinha que falar dele), parece que não sou acabou com a vida de algumas personagens, como da série. Uma série com tantas potencialidades deixou-se ir muito abaixo, com interpretações de Elen Pompeo muito gastas, com a narrativa também gasta, sem ideias, sem trunfos. Quando nos aproximávamos do final, vimos uma luz, um criar de situações bem interessantes para redimir a restante temporada. Nem isso foi aproveitado. Uma desilusão.

Depois de termos as medalhas atribuídas, não posso deixar de fazer um comentário (estilo menção honrosa) a House e The Borgias.

Não sei se foi de ter partido para a sétima temporada com baixas expectativas, mas a verdade é que a temporada surpreendeu-me. Não sou o fã louco da série, pelo contrário, e por isso fico contente por a série ter encontrado mecanismos para suster o cansaço que já se denotava. O final sim, desiludiu-me.

The Borgias: a série histórica da Showtime foi uma surpresa. Veio cobrir um espaço vazio nas séries históricas da actualidade, sendo uma série já muito esperada, mas que conseguiu cumprir as suas funções deixando o público com água na boca para a próxima temporada.

E porque como já referi, cada um tem o seu ponto de vista, agora é a minha vez de ler o vosso. Esmerem-se!

Anúncios

One thought on “(Quase) tudo aquilo que precisas de saber desta temporada – Ricardo Lima

  1. Ainda não vi The Borgias estou a espera que termine para começar a ver tudo seguido. Quanto a Greys parece-me que a serie se prepara para ir embora, este final quase sem chama pode implicar um queda de audiências que já nem são o que foram noutros tempos, mas o desgaste é aparente. Logo se vê o que aí vem.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s