(Quase) Tudo o que precisas de saber desta temporada – António Guerra

Pensem numa loja. São 19 horas. A clientela ainda se encontra dentro da loja a ver os produtos, mas o empregado está com pressa porque tem de ir buscar a garota para ir dar um passeio pelo jardim. Expulsa os chineses que estavam a pensar comprar uns lembretes da terra, fecha com cadeado a porta e corre as grades que cobrem a montra. Os chineses continuam a olhar para a mesma, entusiasmados. Agora pensem que eu sou o empregado, vocês os chineses e a montra o que houve para contar nesta temporada televisiva. Então vamos embora, que tenho de ir buscar a rapariga para ir dar um passeio ao parque.

Então. Com o IP a voltar ao activo (desculpem a saída abrupta…mas toda a malta que aqui põem o seu suor (e parte da miopia, visto ter de passar dias a frente do PC para escrever…eu obrigo) tem trabalho ou tenta ter, como eu, que devia estar a estudar nesta altura…não interessa) e com a temporada a terminar, decidi reunir a trupe do costume, juntar-lhe mais dois excelentes convidados, e propor-lhes para dizerem o que acharam desta temporada televisiva. E, acabando com a introdução, vamos embora.

O Melhor
O melhor desta temporada seria uma lista longa. Assim sendo, decidi focar-me em três séries:

  • Sherlock

A série que trouxe de novo o inspector mais famoso do mundo, fazendo uma viagem no tempo para os nossos dias. Explorada por Steve Moffat, o criador mais genial que deve haver por aí, a série consegue trabalhar bens os casos, e um arco absolutamente fantástico. Mais elogios? Actores muito bons, um gancho que deixa bastante água na boca, e…muito mais. Vejam. São 3 episódios puros de entretenimento.

  • Doctor Who

Continuando com as séries inglesas, temos Doctor Who, a série que quase ninguém vê mas que deveria toda a gente ver. Doctor Who é uma série esquisita. A série movimenta-se em terrenos muitos movediços, com as viagens temporais e paradoxos envolvidos. Mas a série, devido a sua simplificação das coisas, consegue mexer-se nas mesmas. No outro dia dizia o Mateus Borges no Twitter que Doctor Who era a série que mais se aproximava de Lost. E eu concordo em absoluto.

  • Game of Thrones

Outra estreia na lista de melhores do ano. A série começa de uma forma confusa, devido às várias linhas narrativas e às inúmeras personagens, mas depois de se entrar no ritmo da mesma tem-se bastante bons momentos. Game of Thrones é uma das séries do ano pela forma como consegue abordar as narrativas e personagens. E tornar viciante uma série sobre personagens, algo que parece difícil nestes tempos.

Para além destas, fica uma lista das que ficaram de fora do top 3:

  • Fringe
  • Justified
  • Luther
  • Rubicon
  • Shameless

O Pior

De novo com três escolhas, aqui fica o pior da temporada:

  • Chuck

A série andou perdida durante quase toda a temporada. O pior é que, e tendo uma visão parcial da série, ou seja, episódio a episódio, parecia melhor. Mas, e vendo a série a posteriori , a mesma não teve a imaginação que se pedia, não teve a destreza de pegar em algo cliché e transforma-lo em algo bom. Pede-se um ano final imaginativo, apenas…

  • Dexter

Outra série que, vendo episódio a episódio parecia ter tido uma boa temporada, mas numa reflexão final nota-se que se perdeu uma excelente oportunidade. Dexter andou meio perdido com tanto assunto que podia ser tratado, perdendo-se dentro desse mundo. E, depois, culminou com um final bastante inconsequente e com erros em demasiada. Uma temporada que, apesar de não ser para esquecer, não deixa grande memória.

  • Human Target

Outra série de acção que piorou bastante neste ano. Não conseguiu ser simples e eficaz como na primeira temporada, tentando complicar o que era fácil. Mantinha-se o estilo e estava feito. Mas não. Introduziram personagens desnecessárias, mudaram a banda sonora, colocaram romance em jogo e Human Target perdeu-se. Uma pena.

Por última, uma pequena referência para outra série, não retratada, mas que merece a referência: How I Met Your Mother.

A surpresa

Numa temporada que brilhante teve pouco, ficam duas surpresas:

  • Community

A comédia teve um primeiro ano muito irregular, mas no segundo arrancou com tudo. Tornou-se, em poucos episódios, na comédia do ano e encerrou com dois bons episódios. Se querem diversão boa e simples, podem seguir Community.

  • The Chicago Code

Uma série policial que, inicialmente, eu não daria grande atenção, mas que me foi conquistando aos poucos. O pior é que foi cancelada. Mas, e vendo o final, é digna de ser vista.

A desilusão

  • Chuck/Human Target
  • The Killing

Chuck e Human Target já foram explicados. The Killing não entra nas piores porque não a é. É uma série boa, que corresponde ao que se pretende. Mas esperava mais dela. Não consegue sair de um caso que parece que não evoluiu, apesar de ter outras vertentes. Sinceramente esperava mais…

O que deviam ver

  • Case Sensitive
  • Doctor Who
  • Luther
  • Men of a Certain Age
  • Top Gear

Tudo reunido numa só lista. Case Sensitive é série britânica com 2 episódios que, apesar de não ser brilhante, vê-se bastante bem e que merece ser vista. Doctor Who está explicado: deve ser das séries mais injustiçadas em termos de acompanhamento para aquilo que vale. Continuando com as séries britânicas, temos Luther, recomendada pelo Miguel Bento, e que tem personagens absolutamente fantásticas e casos que acompanham as mesmas. Altamente recomendável. Men of a Certain Age é o típico drama, simples e eficaz. Asseguro-vos que não se arrependem se virem. É das séries que mais gozo me dá acompanhar, ainda por cima pelas personagens que parecem tão fáceis. Para acabar, Top Gear, que não é série mas sim um magazine de carros. Sim, está aqui metida, mas merece ser vista para quem ainda não seguiu. Ao verem o primeiro acompanham com certeza o resto.

Despedidas

  • Friday Night Lights
  • The Good Guys
  • Lights Out
  • Lone Star

Para acabar, uma pequena referência às séries que nos deixaram esta temporada. Friday Night Lights acabou após um punhado de anos fantásticos, sendo o melhor (e único) drama adolescente que vi (e consegui ver). The Good Guys é das séries mais injustiçadas dos últimos anos, devido a carga de comédia que tinha. Um desperdício. Já no que toca a dramas, temos Lights Out e Lone Star. A segunda só com 2 episódios transmitidos mas um excelente produto e Lights Out com um excelente arco, mas que acaba por ser cancelada. Deixarão todas saudades.

E assim se resumiu o ano de 2010/2011 em termos de séries. Quarta-feira teremos novo convidado, neste caso o Jorge Pontes, com nova opinião. Por agora: o que acham da deste marmanjo?

Anúncios

2 thoughts on “(Quase) Tudo o que precisas de saber desta temporada – António Guerra

  1. Eu só vi o primeiro episódio de Men of Certain Age e não gostei mesmo nada… mas se o Guerra diz maravilhas da série eu tenho de pensar duas vezes. 🙂

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s