Notas da Semana – Mid Season #5 – Parte I

Cada vez mais preenchida, a nossa tabela conta esta semana com o final de Californication e Lights Out. Queremos saber as vossas opiniões. Partilhem!

Breakout Kings (1.03) – T-Bag. Foi assim que se resume este episódio. Um regresso a Prison Break, série de tão boa memória deste lado, um caso simples mas que demonstrou o porquê de T-Bag ser amado e odiado. E ambas as coisas ao mesmo tempo.

Breakout Kings (1.04) – Abaixo do anterior, o caso teve uma fuga interessante mas, depois, entrou um pouco em queda. Mesmo assim BK continua a divertir e é essencialmente isso que importa.

Breakout Kings (1.05) – Caso de novo normal, nada de brilhante, mas com momentos engraçados. Breakout Kings, como referi na review passada, não é brilhante. Diverte apenas. Vai chegando…

Californication (4.08) – A série continua em queda de rendimento. Os episódios têm tido pouco conteúdo. Neste, por exemplo, metade foi para sexo, continuação da história da gravidez da ex-mulher de Charlie… birra da filha de Hank. É preciso dinamismo, avanço da história.

Californication (4.09) – Os problemas de Hank não parecem ter fim. Agora com 25 mil dólares de dívida, vê-se obrigado a aproximar-se de novo da família. Não que isto seja um problema. Mas os vai-não-vai já são demasiados. Desta vez ensinou a filha a conduzir e o resultado não foi bom… A mulher que o Charlie anda a fornicar é hilariante, é o cúmulo da fantasia. Finalmente Charlie descobre que a sua ex-mulher está grávida. O resultado era o esperado.

Californication (4.10) – Finalmente o dia do julgamento. É recorrido diversas vezes a flashbacks utilizados por Charlie. É nesta altura que vemos a imagem mais nojenta de toda a série. Apesar de não termos nenhum resultado, vemos a situação de Muddy ainda mais perigosa. Não sei qual será a escapatória…

Californication (4.11) – A série arrisca-se a ter a pior temporada até ao momento. A ideia que eu tenho, é que estou a ver o mesmo episódio, a mesma história, os mesmos problemas a cada minuto. Não desenvolve. Uma desilusão. Estão assim tão necessitados em relembrar a cena inicial da série? Que desperdício de ideias! Muito fraco.

Californication (4.12) – Ainda tinha esperanças que o fim de temporada fosse resultar, ou melhor, que desse para camuflar o que foi a temporada de qualidade duvidosa. Pois bem, posso constatar que foi apenas o fechar de uma temporada com um episódio a corresponder ao nível global da temporada. Abriu portas à gravação do filme baseado na vida de Hank, ou melhor, no livro. Percebo o facto de quererem guardar as filmagens para dar fôlego à quinta temporada, mas tal provocou quase a morte da actual. Hank não mudou, Charlie também não (nem a sua sorte!). Aliás, o careca e a mulher reconciliaram-se e preparam-se para ter um filho e Karen vai para fora com o namorado e a filha. Para a próxima temporada, espero que estas alterações sejam favoráveis à série e que consiga, pelo menos, igualar a qualidade dos primórdios. Crescimento das personagens? Nenhum.

Chuck (4.19) – Foi divertido, deu uma pista, mas pouco mais. É uma tentativa de mudança, de tentar arranjar novas soluções. Mas, no fundo, é uma série acabada a tentar viver mais um bocado. Mete pena visto o que a série já foi.

Community (2.18) – A série continua a divertir, mas já perdeu o fulgor. Já não está tão brilhante como inicialmente. Também era difícil, diga-se. Diverte, mas nada de brilhante.

Community (2.19) – Melhor que o anterior, mas na mesma com uma forma abaixo do que era esperado. Diverte, como sempre, mas abaixo do habitual.

Desperate Housewives (7.16) – Este episódio serviu para confirmarmos a morte de Martha, por intermédio de Paul. A sua mulher tem o assumir doloroso. Estão, agora, em pé de igualdade. Ao longo do episódio vemos a competição parva entre Gabbie e o vizinho. Susan recebe a notícia de que pode morrer a qualquer momento e quer começar a aproveitar ao máximo a vida. Susan é o símbolo do provérbio “não deixes para amanhã o que podes fazer hoje.”. Bree descobre que pode doar um rim a Susan, mas Beth parece ter uma vontade maior. A vontade de morrer.

Desperate Housewives (7.17) – A morte de Beth é o pano de fundo do episódio. Sabe-se que a mãe da nova Desperate morreu da mesma forma e, após hesitação de Paul, deixou que o rim fosse doado a Susan. Na cena final, o riso da mãe de Beth deixou-me com a pulga atrás da orelha. Estou intrigado. Episódio mediano.

Fringe (3.17) – Um episódio que se debruçou sobre alguém que não morre, Fringe dá-nos um caso interessante mas pouco mais. Acho que a série está a preparar para o final. Veremos o que sai daqui.

Fringe (3.18) – De volta ao outro universo, o episódio valeu essencialmente pelo final. Porque, de resto, pouco há a referir. Vamos ver se a série, agora, arranca em grande.

Grey’s Anatomy (7.17) – Deixem-me repôr as ideias depois do episódio… Ok, já está. Bem… neste episódio temos a escolha do novo chefe. Richard, não sei se para se vingar de Derek por ter excluído a mulher do estudo sobre Alzheimer, atira as responsabilidades a Hunt. Será que vai escolher Cristina? Eu acho que vai escolher a Meredith. Teddy e o marido continuam num jogo vai-não-vai (quem não se lembra de Denny e Izzie?). Arizona pede Callie em casamento e têm um acidente. Quão grave não sei; se terão o filho, não sei. Conjunto de cliffhangers muito bons.

Grey’s Anatomy (7.18) – O tão esperado episódio musical chegou. Com o acidente do casal lésbico, como é que Grey’s podia inserir músicas? Eu ao início gostei da ideia, do facto de ser tudo o pensamento da Callie. Diga-se, que foi a que melhor prestação teve. Mas tudo tornou-se mais ridículo quando todas as personagens começaram a cantar, cortando toda a tensão necessária à delicadeza do tema tratado. Foi um episódio com pouco drama. Alguém esperava que Callie e o filho morressem?

House (7.14) – Caso semanal bem interessante, afastado do cliché do costume. House faz uma grande declaração a Cuddy enquanto está bêbado, o que tem maior significado e veracidade. E eu que julgava que ia acabar tudo ali…

House (7.15) – Tem-se assistido a diversas formas de apresentar uma narrativa, ao longo desta temporada. Desta vez, foram escolhidos vários tipos de filmes – western, musical, black&white, etc – para desenvolver passos sobre a doença de uma paciente especial – Cuddy. Estes “sonhos” são também, muito discretamente, uma forma de mostrar que House volta a tomar Vicodin. Quais os resultados que isto trará?

House (7.16) – Esta regressão do House pode ter agradado muita gente. Mas é sempre a mesma coisa, já vimos anteriormente estas loucuras do House. A fórmula é sempre a mesma e consegue fazer sempre com que engulam. O episódio é muito bom pela banda sonora, pela suspensão que nos deixou no final, e pouco mais.

House (7.17) – Estou um bocado cansado das maluqueiras sem nexo do House. Agora nem graça tem. E chegar ao ponto de casar-se?! O que safou o episódio foi o casó médico, um aparente pobre coitado que afinal é um canibal serial killer. Dava um bom regresso para a final season!

How I Met Your Mother (6.19) – O regresso de Trinity à TV, mas num episódio razoável. Apenas isso. Mas HIMYM começa a pensar mais em outras partes da série que na comédia. Talvez tenha de começar a ver a série com outros olhos.

Justified (2.05) – A série começa a arrancar a sério. Exemplo disso é este episódio, com Boyd a comandar, mas com Raylan também a fazer das suas. Por alguma razão eu adoro a série.

Justified (2.06) – Ritmo teve. Uma perseguição a uma nota como isso fosse a coisa mais importante do mundo. A série trabalha bem o caso, envolve-nos e saímos a ganhar. Gostei.

Justified (2.07) – Continuação do caso anterior, com mais ritmo, com artimanhas e problemas que quase deitavam tudo a perder. No final tudo se resolve. Será que é mesmo tudo?

Justified (2.08) – Outro caso, outro episódio, outra fantástica narrativa. A série sabe conduzir-nos por onde interessa, dar-nos o que é importante. E é tão bom ver a série a crescer e a tornar-se excelente.

Justified (2.09) – Fantástico episódio. Justified é daquelas séries que crescem e crescem e acabam em grande. Este episódio é prova disso. Desde uma narrativa que, deixada ao abandono, é recuperar para colocar a história sobre brasas, quando outra, que estava a ferver, deixa um pouco de lado para voltar. Controle total, tal como Givens sobre a sua arma. Fantástico.

Lights Out (1.09) – O melhor da temporada, até agora. A série conduz excepcionalmente as narrativas, as personagens, colocando-as em posições problemáticas. Adorei.

Lights Out (1.10) – Também muito bom, demonstrando as consequências de um problema só de Lights. Apesar disso, a série baixou um pouco o ritmo. Percebe-se.

Lights Out (1.11) – Outro episódio que fala de consequências de certos actos de Lights, provenientes de um passado mais longínquo. E, depois, a introdução de uma nova personagem na série de que resolve esse problema, torna-se fantástica. Gostei.

Lights Out (1.12) – O pior da temporada. A série introduziu elementos não necessários, principalmente com o final tão próximo. Mas desculpa-se…

Lights Out (1.13) – O final da série. A forma como se prepara a batalha final, que se tinha tornado no ponto essencial da série. Foi isso que ocupou o final do episódio, sendo antes disso mais uma réstia de preparação. E, focado na guerra do ringue, a série prendeu desde o início ao fim. Única lástima foi ter ficado um arco em aberto, como aquele sinal de esquecimento…pena ter sido cancelada. Mas despede-se em grande.

Mildred Pierce (1.01) – Série que viaja para o passado, para uma época que gosto tanto, e que mostra as dificuldades de uma mulher num mundo de homens. Gostei do inicial, vamos ver se a série continua a dar-me alegrias.

Modern Family (2.17) – Outro bom episódio, que deu para rir um pouco, mas nada mais. É a monotonia da série…

Modern Family (2.18) – Aleluia algum episódio que me fez rir a sério. Já gostei bem mais, principalmente dos dois senhores com Jay. A série tirou um coelho da cartola. Vamos ver se o mantêm vivo.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s