E Tudo o Tempo Levou: Jericho (Parte I)


Refrescante e original, Jericho surge com um argumento forte e de colar o espectador ao ecrã, mas o seu grande mérito foi provar que os fans têm sempre uma palavra a dizer!

Em 2006 Jericho aparece na CBS com um piloto intrigante que deixa meio mundo de boca aberta e em grande, grande expectativa. Estaríamos perante algo duradouro ou de curta duração? Pois a resposta mais justa é: Nim!

Jericho vive em torno de uma pequena cidade do Kansas (nome da série), uma cidade no meio do nada que se vê isolada de qualquer meio de comunicação após ter sobrevivido a vários ataques nucleares espalhados pelas principais cidades dos Estados Unidos.

Em 2007 Jericho é nomeado para um Saturn Awards para melhor série de televisão.
Em 2008 é nomeado para um Emmy na categoria de melhores efeitos visuais.
Em 2009 tem outra nomeação para melhores efeitos visuais no Visual Effects Society Awards e recebe outra nomeação para um Saturn Awards por melhor apresentação de uma série de TV.

Mas o que Jericho tem de diferente?

Imagem de marca da série, o cogumelo ao longe antevia o caos nesta pequena cidade de nome Jericho.
E a primeira temporada tenta-nos mostrar isso mesmo, um grupo de pessoas desamparadas que se vêm presas numa cidade sem qualquer tipo de comunicação com o exterior, sem rumo e com um caos a aproximar-se a passos largos devido aos efeitos colaterais da explosão mais próxima.

Um caos que dividiria a cidade nos ‘good guys’ e nos ‘bad guys’, um acontecimento que iria criar heróis (aqueles que têm coragem e escolhem o caminho difícil) e inimigos (aqueles que têm covardia e escolhem o caminho fácil).

Esta é a principal mensagem de uma série que teve tudo o que precisou, mas como tantas outras, o encanto das audiências iniciais e a vontade louca dos americanos por ‘fast-food’ não permitiu a série desenvolver e chegar a um patamar de culto, onde muito, muito poucas séries se encontram hoje em dia.

Os personagens…

Como quase todas as boas séries, Jericho possui também bons personagens apreciados pelo público em geral, mas ao contrário de Breaking Bad, Dexter, House, The Mentalist e algumas mais não são estes que fazem a série mas sim a série que constrói os personagens à sua medida…

Jake Green (Skeet Ulrich), o personagem principal da série, é um ex-mercenário e o filho mais novo da família Green. Após vários anos de desaparecimento e arrependimentos Jake regressa a Jericho onde entra em conflitos com o seu pai e mais tarde com o novo presidente da sua terra natal. Pouco depois da sua chegada decide deixar novamente a cidade mas depara-se com a explosão nuclear e é forçado a ficar. Tem um passado misterioso que o fez regressar a Jericho com arrependimentos mas a sua determinação em ajudar os outros fez superar essa luta consigo próprio.

Johnston Green (Gerald McRaney) é no inicio da série o actual presidente de Jericho. Tem uma relação muito complicada com o filho (que é patente desde o inicio da série) e é casado com Gail há mais de 30 anos.Johnston, um homem forte e de princípios vê-se a certa altura à beira da morte devido a uma gripe, passando a depender do auxilio dos seus filhos e esposa para sobreviver.

Gail Green (Pamela Reed), esposa de Johnston e mãe de Erik e Jake. Gail é a voz da razão, a referência da família. Sempre com sábias opiniões Gail é o intermediário da relação complicada mas em evolução entre Jake e Johnston. Aparentemente é a única que sempre soube o que realmente aconteceu com Jake, apesar de nunca contar ninguém.

Eric Green (Kenneth Mitchell) é irmão de Jake e o mais velho da família. O vice-presidente de Jericho, tem uma personalidade confusa e conflituosa consigo próprio. É casado com April mas tem uma outra relação com Mary, por quem é constantemente pressionado a pedir o divórcio. Fica em transtorno quando confrontado com algo ‘pesado’ na sua vida, quando por exemplo ele encontra os papéis de divorcio que April já tinha em sua posse.

Gray Anderson (Michael Gaston) é o concorrente político do actual presidente de Jericho, Johnson, sendo sempre o primeiro a discordar das suas decisões. Foi uma das pessoas que após a explosão nuclear se voluntariou a tentar descobrir o que se passava em redor de Jericho. As suas politicas e decisões tomadas mais tarde durante a ‘quarentena’ e os perigos de guerra de territórios eram sempre questionadas pela família Green.

Robert Hawkins (Lennie James) é a par de Jake o grande personagem da série e elemento-chave no decorrer da mesma. Hawkins é o personagem mais enigmático em Jericho e que desde logo se percebe que esconde algo relacionado com os ataques terroristas às cidades norte-americanas. Ele e a sua família chegam a Jericho no inicio da série e desde logo começa a ajudar a população nos primeiros dias após o ataque. Sempre preparado para qualquer situação e com respostas prontas a dar, Hawkins passa sempre despercebido pela sua real razão de estar ali até Jake começar a investigar. Com várias identidades, passando-se por vezes como elemento do FBI, Hawkins está directamente ligado aos ataques nucleares.

To Be Continued…

Anúncios

One thought on “E Tudo o Tempo Levou: Jericho (Parte I)

  1. Gostei muito do post, assim como da série Jericho, durou pouco, mas pelo menos conseguiu-se um final mais ou menos digno depois de um rompimento algo abrupto no final da primeira temporada.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s