Notas da Semana – Summer Season 11

Burn Notice (4.11) – A preparação para o final, que teve um caso interessante mas já algo visto por estes lados. Mesmo assim Burn Notice dá-nos um muito bom episódio e agora é esperar pelo que vem ai.

Burn Notice (4.12) – O final prometia muito. Deu parte e guardou outra parte, guardada por um caso que surgiu quando nada fazia prever. E talvez foi ai que a série perdeu: deu algo inesperado e saiu por baixo. Mas, mesmo assim, foi muito bom.

Covert Affairs (1.07) – A necessidade de a série não meter algo relacionado com o arco chateia-me. Pois os casos são bons, mas falta algo mais. E é isso que me queixo…vamos ver se se porta melhor daqui para a frente.

Hung (2.09) – Acabou. A série não sai da cepa torta e quem nasce torto tarde ou nunca se endireita. E não estou para ver uma série corcunda a espera que se endireite.

Persons Unknown (1.11) – Pergunto-me porque ainda vejo a série. Encontro a resposta só assim: porque está a acabar. Pois a série dá-nos o pior episódio da temporada, sem avanços…estamos a chegar ao fim malta. Já é hora de acordarem do sonho.

Persons Unknown (1.12) – O melhor episódio da série, claramente. Porquê? Porque consegue ter uma carga psicológica muito alta e com uma narrativa muito bem pensada. A série, notou-se neste episódio, que queria seguir o caminho da psicologia e do livre arbítrio, mas devido a dificuldade de arranjar subtemas, mudou para outros lados. E isto fez com que PU não fosse o que poderia ser. Mas sim, este é claramente o melhor episódio da série.

Persons Unknown (1.13) – Inferior ao anterior, este episódio mostra-se bastante consistente. Serve como um encerramento prematuro, visto que ficam muitas linhas soltas. E é, por isso, que talvez seja criticado. Foi um episódio muito emotivo, um pouco irrealista (como é que a “empresa” tem câmaras em todo o lado?) e com um bom final. Claro que nota-se que o nível 2 é algo criado a pressão, não pelos argumentistas, mas por quem comandou o primeiro nível. Mas, como não vamos ter mais desenvolvimentos, ficou um final interessante. PU acaba bem, mas a laranja tinha pouco sumo para o tamanho…

Royal Pains (2.12) – Esperava-se mais deste final, mas a série consegue dar-nos um bom episódio. A situação criada é interessante e encaixa muito bem. Faltou a doutora, mas de resto esteve lá tudo. Um episódio muito concentrado e que, por isso, perdeu um pouco do brilhantismo que poderia ter.

The Big C (1.02) – A despedida é feita com muita gente despida e com uma narrativa divertida. Mas o Outono aproxima-se e com isso o meu sentido critico sobe. E, quando isto sobe, a série sucumbe…e não foi ao cancro. Foi aquela menina que se despe no quintal. Ou talvez não…talvez aquilo tenha sido o melhor do episódio.

True Blood (3.11) – Metade do mundo vai-me cair em cima, mas eu não achei que este episódio de True Blood tenha sido fraco. É um episódio de transição/preparação? É, claramente. Mas a série comanda muito bem as narrativas. Excepto a loucura do Sam, está tudo bem arquitectado para termos um grande final. E, quando o tivermos, há que reconhecer que grande parte do trabalho foi feito neste episódio.

De resto, duas notas: já se sabe que não vai haver queimada com o Eric e o companheiro e, já agora, onde para o Alcides? O tempo de ir a caça da perdiz é só em Outubro (se a minha pesquisa na net estiver correcta…).

White Collar (2.07) – Um episódio muito bom da série que consegue mexer-se muito bem entre os meandros dos crimes de colarinho branco. A série tem ganho um impulso interessante, o caso da Kate também está muito bom, e tudo isto torna a série um bom poço de divertimento.

Nota: um pedido de desculpas a quem estava à espera dos episódios de Rubicon. Foi-me impossível ver os mesmos. Assim sendo, e após ter visto o trio de episódios, farei um especial para as notas do mesmo e as críticas. Espero que percebam…esta vida anda mais rápido que esperava.

3 thoughts on “Notas da Semana – Summer Season 11

  1. Sobre o PU o seu fim não foi bom, foi muito bom(:P), ninguém estava a espera daquilo nem nada parecido, novamente volto a dizer, os finais de séries é para serem lembrados e PU conseguiu isso…
    De modo geral e apesar de tanto erro e péssimos personagens a serie foi original, interessante e satisfatória. Valeu a pena ver até ao fim.

  2. Em relação a PU, o balanço é poisitivo, mas acho que é melhor estar como está, sem continuação, porque foi um bocado difícil ver alguns episódios.

    True Blood: continuo a achas que a série já anda com episódios de transição a mais. GRande decepção, esta temporada.

  3. Quanto a PU não consegui acabar e nem me estou a ver pegar nela… Desiludiu-me bastante e, para mim, seria tempo perdido.

    White Collar está cada vez melhor. Estou sem palavras para expressar quanta qualidade tem vindo a mostrar sem nunca me desiludir. A segunda temporada está, claramente, melhor que a primeira.

    True Blood tem tido uma temporada irregular. Este foi um episódio de preparação, o 11. Mas se o final foi o que a série tem vindo a mostrar ao longo destas semanas, vai desiludir bastante.

    Royal Pains terminou bem e conseguiu um bom episódio e um bom cliffhanger.

    Covert Affairs continua excepcional mas nota-se a falat do arco principal.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s