Emmys 2010 – Nomeados: A análise (Comédia)

Sabem aqueles prémios dourados a dourado? Aquele prémio que parece ter asas mas não voa? Aquele prémio que não é pássaro, mas sim um anjo e, pela sua voz, quer conquistar metade da indústria televisiva? Sabem disso tudo? Então posso começar a dissecar os nomeados para a estatueta em forma de anjo com o mundo nas mãos. Ou seja, um anjo gordo… De referir que eu não sou nenhum expert na matéria, só dou a minha opinião. E muita gente vai ficar chateada. Ou melhor, iria se a lessem. Agora assim posso matar as séries que pouca gente conhece. Mas comecemos lá por ver quais as asneiras feitas este ano.

Comecemos pela quantidade e pela qualidade. Temos, como primeiro lugar no número de nomeações, The Pacific. Para a minha humilde pessoa a série da HBO é magnífica, mas só tem este número, 24 neste caso, de nomeações por causa de ser uma mini-série, concorrendo contra quase ninguém. Assim sendo, e devido à qualidade da mesma, torna-se difícil retirar os estas. Pronto. Aceita-se.

Passemos da qualidade e quantidade para a quantidade sem qualidade. Glee aparece em segundo da lista, demonstrando as mais-valias da série. Quais são estas? A de não ter qualidade e conseguir ter nomeações e, posteriormente, prémios. Já viram que sorte? Conseguem ter o proveito e a fama, mas nada mais. Pois, digam o que dizerem, estes olhos não conseguem ver como uma série destas consegue ter 19 nomeações. Não conseguem. Se calhar é por ser míope e de ver o mundo um bocado distorcido. Mas, se formos analisar, temos Glee em melhor comédia, ficando de fora séries como The Big Bang Theory, Weeds, How I Met Your Mother, a minha querida Community (que talvez não tenha sido nomeada devido ao episódio que submeteu…burros) ou a amada do Tiago Entourage. No meio de tanta boa série vão escolher Glee, que já é duvidoso. E, depois, ainda para saírem com uma mulher, e não saindo na melhor comédia, temos Nurse Jackie. Gozo puro…É que temos séries como The Middle, que não entrava nem que pagasse, mas que é melhor que a série da enfermeira. Temos United States of Tara, que também não é nada especial. Mas continua a ser melhor. Ou até temos Chuck. Pronto…essa é bem melhor, até que Glee. 100x. Mas era daquelas que também nem que pagassem podiam aparecer. E, depois, temos Party Down, a série que, apesar de uma temporada mais fraca, é 75x melhor que Glee. Chega isto para se ver como o mundo anda um bocado esquisito. Citando Señor Chang: “Es una vergüenza…”.

Continuando com Glee que, visto a quantidade enorme de prémios que tem, permite fazer as pontas com todo o lado de comédia. Podemos passar para melhor actor de comédia? Que aí sim, riso pegado. Sabem que me parti a rir a ver as nomeações? Acho que é isto que Glee quer fazer: não nos fazendo rir nos episódios, faz-nos rir nas nomeações para os prémios. Hilariante a nomeação de Matthew Morrison. Primeiro: ele é actor? Ou é alguém que não sabe o que fazer com o rabiosque, dançando hip-hop ao mínimo acorde de Beethoven? Ou nem isso é? Atiro para a última. Ver no MM alguém de qualidade faz-me concluir que a droga fumada pela malta que anda dar as nomeações é muito boa. Talvez terão ido buscar a Bored to Death o fornecedor. Mas aquilo é forte, pois conseguirem dar a nomeação ao actor de Glee é daquelas coisas. Ou talvez seja para nos rirmos. Sentido de humor fulminante. Mas não me parece…se não também teriam nomeado a Lea Michele (para não me caírem em cima, isto foi ironia). Assim sendo, só pode ser por quererem nomear Glee. Pois, se viremos nomes como Charlie Sheen de fora ou gente como Joel McHale que, apesar de não ter uma temporada brilhante, teve muito melhor que o MM, chegamos à conclusão que algo bate mal. Talvez a cabeça das pessoas que nomeiam.

Já falei na Lea Michele, que só tem um “e” no fim porque é chique? Já. É que é um bocado mal ver uma actriz que faz de si própria (toda a gente diz que a personagem é feita à medida da Lea, por isso ela não contracena, ela só faz uns agudos mais perto do grave do que costuma) e que é nomeada. Pronto. A droga não é tão forte, pois a Lea ainda é jeitosa…em termos de representação. A outra parte não é para aqui chamada. Mas não é brilhante. Temos a brilhante Mary-Louise Parker, que é bem melhor que a Lea. E, depois, temos a sempre nomeada Tina Fey, que parece que não tenha feito uma temporada brilhante. Mas pronto, 30 Rock perde o estado de graça para Glee. Mas 30 Rock é bem melhor, diga-se a verdade.

Continuando com a comédia, ou seja com a piada. Actor secundário de comédia. Com Neil Patrick Harris, que merece o prémio (isto ficará para outro post mais próximo da saída dos vencedores), a encabeçar a lista, Jon Cryer como o eterno candidato e vencedor, e o elenco de Modern Family, que se meteu todo em secundário, temos o nome de Chris Colfer no meio disto tudo. Não tão hilariante como o MM, confesso. Mas também muito boa comédia. Nomes deixados de fora? Chevy Chase, de Community, que teve uma temporada brilhante como Señor Chang, ou o esquecido Danny Pudi, também da série da NBC, que foi mais hilariante que qualquer coisa que houve este ano (houve episódios que eu via só a série pelo Abed), há nomes como o Ty Burrell, que sofreu do mal de ter muito MF nos nomeados. Mas deixar isto tudo (ou até o Adam Baldwin, que é brilhante…) por alguém que só fala com o braço levantado e em falsete é muito mal. Eu, se fosse actor, achava que ficava desmotivado. Os bons não são reconhecidos, enquanto os maus conseguem ser. Não que o CC seja mau, mas bom não é de certeza.

Para acabar de dissecar a comédia (misturei drama pelo meio para quebrar o gelo), temos a actriz secundária. Perguntam vocês: darei em Glee? Não. Jane Lynch é a única actriz de Glee que merecia estar, para mim era a única coisa que Glee devia ter nomeado nas categorias principais. Daqui, referir a falta da Alyson Hannigan, de HIMYM, mas talvez sem espaço. Fiquei feliz por ver o contingente de Modern Family nomeado, pois, para além da beleza (a Sofia Vergara é muito, mas mesmo muito, bela. A Julie Bowen também é o é, mas a Sofia… ¡Ay caramba!), por isso não retirava nenhuma. Não conhecendo o trabalho da Kristen Wiig, talvez seria a escolha. Mas não posso opinar…de resto, a Jane Krakowski é daquelas que é batida (e também muito bonita…muito mesmo). A Holland Taylor desconheço o trabalho, por isso não opino. Acho que foi a categoria que me deixou menos chateado.

E aqui está o que eu achei sobre as nomeações de comédia. Agora partiremos para o drama.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s