Notas da Semana – Summer Season 4

Burn Notice (4.02) – Bastante inferior em relação ao início. O episódio podia dar mais, mas foi muito enfadonho, sem truques. Foi muito o jogo de medo do Michael, com medo de ser descoberto, e o sentido leal deste, a tentar reparar o erro. Claro que a série precisou de dar este passo para abrir o arco, mas podia ter dado de uma forma mais forte. Esperava mais.

Hot in Cleveland (1.01) – Betty White. Foi a pessoa que me pôs a ver a série. HiC retrata a vida de três quarentonas, solteiras ou similares, que vão parar a Cleveland por acaso. Encontram aí o que queriam: ser desejadas. E para isso estou eu farto de ver. White era o que podia dar um requinte à série. Apesar de me tirar algumas gargalhadas, não é brilhante…e isso chega para largar agora.

Lie to Me (2.11) – Excelente regresso do melhor procedural da actualidade. Lie to Me inverte o caso, dando-nos o culpado e, posteriormente, construir o caso. Poucas séries podem dar-se a esse luxo. E, por isso, a novidade adicionada a qualidade tornou o regresso excelente. Que venham mais jogos com o diabo. Eu gostei.

Nota: As notas anteriores a este episódio referem-se às reviews escritas até aí. Referir que, comparativamente às restantes séries em exibição, Lie to Me merecia mais uns pontinhos. Está num patamar superior a, por exemplo, Royal Pains.

Lie to Me (2.12) – Novo caso, melhor, novo episódio. Lie to Me não é uma série de casos, pois isso é dar a personagem principal um enigma exterior ao protagonista, mas sim uma série que arrisca a cada episódio as personagens que constituem o núcleo duro. Muito boa a relação que consegue estabelecer, aproveitando pontas deixadas para trás, arriscando tudo. E de uma forma consistente. Muito, mas mesmo muito, bom. Façam favor de ver.

Persons Unknown (1.02) – Inferior que o anterior, a série continua com muitas incoerências. A luz que surge do nada e transporta-os. As personagens que funcionam em grupo, com confiança, com relações artificiais. Para além disso, a fuga sempre prestes a ocorrer e a ser salva no último momento. Não é algo que nos deixe preso…e se soubessem construir a série, deixavam-na presa naquele momento em que o tiro era disparado. Assim já sabemos o destino das personagens…

Rubicon (1.01) – Confuso. É assim que catalogava o piloto. Tem bons actores, tem boas narrativas e boas personagens, mas são várias linhas que se sobrepõem. Se fosse para apostar, e pelo que achei, diria que vinha aí uma coisa grande. Rubicon tem todos os ingredientes e, pelo piloto, tem alguém que sabe colocar o sal e passar até ao ponto. Que venha mais um…

Royal Pains (2.02) – Bastante mais fraco que o anterior, este episódio teve o condão de nos dar, primeiramente, um caso que desinteressante, que só teve reflexão na vida das personagens. Royal não é série para isso, e assim o caso não divertiu. Quanto ao arco do pai, bons momentos, mas nada de especial. Um bom episódio, mas pode haver dores maiores para a série.

The Good Guys (1.03) – Bem inferior ao anterior, a série continua a divertir. Faz a sua função, tem boas narrativas, não caiu na monotonia que eu tinha medo, pois o caso nasce mesmo do nada, e os protagonistas estão cada vez mais entrosados. De resto, cuidado com a gripe. Foi das melhores coisinhas do episódio, aquela cena da banheira. Já agora, para quem viu, que tira ficado a pensar a rapariga?

True Blood (3.01) – A reflexão sobre a moral continua lá, principalmente com Bill e a idosa, mas este episódio foi totalmente o episódio para fazer o salto de uma temporada para outra. Ataram-se linhas narrativas, o próximo arco está a ser preparado, e tivemos desenvolvimentos. Mesmo assim, e sendo um episódio que faz a transição entre temporadas, não houve aquela paixão pelo sangue que a série já deu. Viu-se bem, mas não foi grandioso.

Anúncios

4 thoughts on “Notas da Semana – Summer Season 4

  1. 100 Questions continua a mostrar porque é que é uma comédia light e perfeita para o Verão. Bons episódios com umas gargalhadas e parvoíces pelo meio, mas entretém.

    Hot in Cleveland, a meu ver, merecia um valor 7.5 a 8.2. Embora não seja excelente. entretém bastante e os diálogos são muito bons em certos momentos. Gostei bastante, será para acompanhar.

    Lie to Me fartei-me no episódio seis da primeira temporada. Achei que era sempre o mesmo e a vontade para ver já não era muita mas ouso dizer que é uma série muito boa.

    Persons Unknown continua a ser o que prometeu no primeiro episódio. Estranha, duvidosa, com falhas. Espero que os argumentistas tenham feito melhoras nos episódios seguintes porque a mudança de humores amigo-inimigo, não fica bem.

    Rubicon, excelente mas confusa. Rica e brilhante. Mal posso esperar por Agosto.

    Royal Pains diverte e, ainda não passa disso. A este episódio faltou dinâmica. Achei-o muito parado.

    True Blood surprendeu-me. Continua a ser uma série bastante boa e não me desiludiu. Está para vir mais uma Grande história! (nota: 8.5/10)

    • Hot in Cleveland tem o problema de ser uma história já batida, para além de eu não ter achado piada nenhuma…

      De resto, não sabes o que perdes ao não ver Lie to Me, Persons continua com as suas falhas e True Blood veio em grande, apesar de muita gente não achar.

      Cumprz

  2. Bem Persons Unknown dei-lhe um pouco mais. Fiquei foi surpreendida pela nota de Pretty litle liars, não que seja uma série que queira seguir, mas 4,4. Prometia pelo menos para quem gosta um pc do genero, mas ja sei que a ti pcs te conquistam desse genero.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s